20 de julho de 2024 19:38

Populares promovem covardia e agressões na comunidade do Arame: “por pouco não fomos linchados”, desabafa vítima

No último fim de semana, Camila Andrade, sua irmã e seu cunhado foram visitar a avó na comunidade de Arame, distante 12 km de Lagoa Dourada.

Na volta, eles resolveram parar e fazer lanche, quando, sem qualquer justificativa, populares iniciaram agressões com pedras contra o trio.

As imagens chocaram a cidade de Lagoa Dourada pela violência utilizada contra pessoas inofensivas.
Por sorte, uma viatura estava na comunidade e conseguiu, com muita dificuldade dispersar os agressores, e salvar a vida das vítimas.

Em entrevista ao site Pop News, a lagoense Camila relatou os momentos de terror e drama vivenciados naquela noite.

Segundo ela, a cena de violência ocorreu em meio a aglomeração e bebedeira, sem uso de máscaras, em uma rua do Arame. Ela contou, ainda bastante abalada e emocionada, que por pouco, eles não foram vítimas de linchamento popular. “Os militares tiveram dificuldades de conter os populares e muitos nos agrediam com pedras. Graças a Deus tivemos sorte dos militares estarem no local. Nós caímos ao chão e fomos atacados com pedras e chutes em total covardia”, desabafou.

Os três sofreram graves agressões com sequelas variadas e passarão por exames para avaliar o quadro médico.

Foi registrado um Boletim de Ocorrência e Polícia Civil já identificou diversos agressores. “Não sabemos o que está por trás das agressões”, finalizou Camila.

https://youtu.be/XxbO8t0X13I

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade