24 de abril de 2024 20:16

Projeto Memória Viva de Queluz – Série: Sedição de Queluz  

Parte 6- 10 de junho de 1842

Barbacena se torna capital dos insurgentes liberais no Movimento Revolucionário de 1842 que teve lugar na Província de Minas Gerais

Por João Vicente

Litografia Heaton & Rensburg – Barbacena 10 de junho de 1842 – Fonte Arquivo Nacional com identifição das moradias e seus proprietários na Praça da Matriz. Algumas casas recebem aqui uma numeração e abaixo a identificação com os nomes dos antigos proprietários ou estabelecimentos da saúde, escolar. A direita da Igreja existe uma edificação sem marcação que foi propriedade do Conde de Prados. A direita, a Guarnição da Guarda Nacional em frente ao Palácio do Governo Provisório jurando obediência ao governador interino Jose Feliciano.

Em 10 de junho de 1842, estourou o Movimento Revolucionário Liberal na cidade de Barbacena, cuja Câmara Municipal aclamou presidente interino de Minas Gerais, o Coronel Jose Feliciano Pinto Coelho, futuro Barão de Cocais. Os motivos da revolta em Minas foram os mesmos que determinaram a revolta na Província de São Paulo em Sorocaba. Tanto os paulistas . quanto  os mineiros  recusaram-se a acatar as novas leis, consideradas reacionárias e centralizadoras pelo gabinete formado pelo Partido Conservador. “O estopim do Levante Liberal de 1842 foi o fato de que, após a edição do chamado “Pacote do Regresso” (1841), que implicava, entre outras medidas, mas principalmente, uma reforma do Código de Processo Criminal que dava ao governo central o direito de nomear juízes e autoridades policiais nas províncias, uma série de crimes locais ficaram impunes, como no episódio de Franca, no qual um notório facínora, que aterrorizava a vila com seus bandoleiros, após degolar dezenas de vítimas, acabou inocentado, pela proteção, ou ao menos a leniência, das autoridades centrais(1) Dos 42 municípios mineiros, 15  cidades aderiram à revolução, sendo  Queluz ( Conselheiro Lafaiete) em 14 junho, a segunda cidade a reconhecer e encaminhar oficio assinado por 5 vereadores ao governo provisório dos Liberais instaurado em Barbacena.

Durante os meses de junho,julho e agosto a Província de Minas Gerais vivenciou vários combates e batalhas entre tropas insurgentes  e as tropas legalistas ligadas ao governo Bernardo da Veiga

Segundo alguns historiadores, o governo legalista  sediado em  Ouro Preto resistiu à revolução,  obtendo vitórias importantes sobre revoltosos liberais que estimulou a reação à revolução.

Mas, apesar das derrotas, os revolucionários dominavam a parte mais populosa de Minas Gerais e as comunicações com o Rio de Janeiro.

1842 , Tropa  da Guarda Nacional entrando em Queluz vindo de Itaverava no alto do Morro onde foi construído a Capela de Santo Antonio.( Quadro de azulejo Ag.Banco do Brasil de Cons.Lafaiete)

1842 , Tropa  da Guarda Nacional entrando em Queluz vindo de Itaverava no alto do Morro onde foi construído a Capela de Santo Antonio.( Quadro de azulejo Ag.Banco do Brasil de Cons.Lafaiete)

Foto de 1886- Segundo a fonte uma da mais antiga foto de Barbacena que trás o Casarão Colonial de 1790( a direita)  sede do Governo Liberal em 1842 e hoje  Câmara Municipal de Barbacena

Com a proximação das tropas de Caxias, os insurgentes liberais desistiram de ocupar Ouro Preto e decidiram partir para o arraial de Santa Luzia e lá se juntar com as outras tropas liberais para enfrentar o destemido exercito de Caxias que acabou sendo vitorioso ao derrotar os liberais em 20 de agosto na sangrenta batalha conhecida como “ Batalha de Santa Luzia”, pacificando a Província de Minas Gerais.

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade