17 de abril de 2024 12:51

Promotoria apura responsáveis desmatamento em Mata Atlântica pela prefeitura de Itaverava (MG); multas chegam a mais de R$ 200 mil

A promotoria está agilizando com celeridade nos casos de crimes ambientais em envolvendo a Prefeitura de Itaverava (MG). O Curador do Meio Ambiente, o Promotor Glauco Peregrino, abriu um procedimento para apurar as responsabilidades cíveis e criminais nos desmates e intervenções em área de preservação permanente para alargamento de estradas municipais. Um inquérito civil está em fase de instrução e diversos envolvidos já foram ouvidos entre eles o Prefeito José Flaviano (PT), o Nô”.

Na tarde do dia 17 de maio, militares foram acionado após denúncias de sitiantes de derrubadas de árvores do bioma da mata atlântica, na zona rural, em Itaverava (MG). Houve até invasão de propriedades particulares para abertura de uma estrada de servidão para o acesso a um minerada em fase de implantação, a Atlântica Carijós. A cidade vive a expectativa da chegada de recursos milionários da Cefem (Compensação Financeira pela Exploração Mineral).

A PM flagrou caminhão de madeira nativa, prendeu o motorista e apreendeu uma motosserra, um caminhão e uma retroescavadeira e um trator. O Prefeito José Flaviano (PR) e a Procuradora do Município, Samma Leão, compareceram na estrada durante a lavratura do boletim de ocorrência e informaram que não há licença ambiental para a supressão da mata nativa.

O veículo carregado de madeira nativa foi apreendido e levado para o pátio da prefeitura onde os produtos foram despejados e ficaram sob responsabilidade do prefeito na forma de depósito até decisão do órgão ambiental competente. A motoserra também foi apreendida.

As multas chegam a quase R$200 mil e foi destruída cerca de 15 mil m² de mata nativa. Apesar dos crimes ambientais, a obra segue em ritmo intenso.

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade