13 de julho de 2024 19:23

Por que Chicago é considerada a Minas Gerais dos Estados Unidos?

Com cara e tamanho de cidade grande, mas hospitalidade de cidade do interior: Chicago conquista corações

Se você não conhece Chicago , depois deste relato, com certeza vai colocar o destino na sua lista de viagens. Cercada de encantos, ela tem cara de cidade grande, receptividade de interior, orla de rio, é rica em cultura e entretenimento, e oferece muita comida deliciosa. 

Fã do Brasil , o americano Jeff Kazmierczak, guia turístico nascido em Chicago, arriscou fazer uma comparação. “Tem uma região aqui nos Estados Unidos conhecida como ‘The Midwest’, é tipo  Minas Gerais para mim. Chicago seria Belo Horizonte , por ser a maior cidade dessa parte do pais”, explicou. “Aqui somos mais amigáveis e solícitos, diferente das pessoas de Nova York, por exemplo. Também temos comidas deliciosas, outra semelhança”, apontou.

No início do mês, a cidade foi eleita pelo sétimo ano como “Melhor Grande Cidade dos EUA”, pela renomada premiação Readers’ Choice Awards , da Condé Nast Traveler,  com mais de 500 mil votos. Tornando Chicago a única capital com esse título. A publicação destaca a cidade como “um destino de classe mundial conhecido por sua arquitetura impressionante, museus de primeira linha, chefs brilhantes e um enorme cenário cervejeiro”. Eles ainda dizem que são necessárias várias visitas para explorar todos os cantinhos dos 77 bairros.

Na minha primeira passagem pela cidade, eu estava com muitas expectativas. Minha referência era uma Chicago dos anos 80, 90, que serviu como pano de fundo para as histórias de “Punky, a Levada da Breca”, ou as aventuras de Kevin, de “Esqueceram de Mim”, meus preferidos. Mas o que encontrei foi uma cidade moderna, agitada e que sabe aproveitar bem o verão. 

Depois de cinco dias rodando por Chicago, e caminhar mais de 50 quilômetros a pé, conheci novos lugares, me encantei com a história da arquitetura e vivi muitas aventuras únicas, que só esse lugar poderia proporcionar. Nos próximos parágrafos, você vai descobrir alguns cantinhos desta cidade musical, colorida, cheia de cultura e muita tecnologia.

“The Bean” no Millennium Park

Comecei o passeio pelo famoso e surrealista Millennium Park. É aqui que está um dos cartões postais mais famosos da cidade, o Cloud Gate, conhecido como “The Bean” (“O Feijão”), do artista indiano de Anish Kapoor, uma estrutura impressionante que atrai visitantes de todo o mundo. 

O exterior do The Bean é feito inteiramente de aço inoxidável. Foi criado com tecnologia de computador para cortar com precisão 168 placas de aço maciças, que foram então encaixadas e soldadas para um acabamento completamente sem costura. Anish deu seu nome! E todo mundo ama uma foto neste lugar. Desde agosto de 2023, a escultura teve seu entorno fechado para uma revitalização. A ideia é inaugurá-la na primavera de 2024. Ainda assim, apesar de alguns tapumes, dá para garantir umas fotos. 

“The Bean” no Millennium Park
Felipe Abílio“The Bean” no Millennium Park

Ali mesmo, aproveite para visitar o diferentão Jay Pritzker Pavilion, um anfiteatro sem teto, ao ar livre conhecido por sua arquitetura impressionante, projetada por Frank Gehry. É neste palco que acontecem os shows do icônico Chicago Blues Festival, que completa 30 anos em 2024, e acontece no mês de junho.

Andando um pouco mais, você vai dar de cara com a Crown Fountain, uma instalação artística do espanhol Jaume Plensa. Composta por duas torres de 15 metros, elas projetam imagens de rostos de residentes de Chicago. A ideia faz referência às fontes clássicas que usavam gárgulas, com carinhas de criaturas míticas, soltando águas por suas bocas abertas, simbolizando a vida. Durante o verão – visitei a cidade no final de agosto –, as torres jogam água nos visitantes, que se divertem no espelho d’água em torno. 

Na região também estão o Grand Park, com a grandiosa Fonte Buckingham, o Museu de História Natural, o Instituto de Arte de Chicago e o Aquário Shedd, todos passeios imperdíveis. Eu comprei um City Pass da cidade por US$134 com cinco atrações inclusas e achei vantajoso.

Skydeck

Uma das atrações mais populares em Chicago, o Sky Deck rende adrenalina e ótimas fotos. Aqui você faz uma viagem pela história da cidade e conhece detalhes, como gastronomia, arquitetura, e as grandes personalidades. Depois, você sobe os 103 andares da Willis Tower para ter uma vista 360 da cidade, acima de todos os prédios. E se você for corajoso, dá para experimentar a cápsula de vidro, que foi construída para fora do edifício. Tudo para que os turistas possam apreciar melhor a vista.

O Grande Incêndio

Por onde você anda, os prédios de Chicago são enormes e imponentes, e isso não é por acaso. A cidade alavancou a modificação da arquitetura de cidades no mundo inteiro. E tudo começou com uma vaca. 

A história conta que no dia 8 de outubro de 1871, o animal teria tropeçado numa lamparina dentro de um estábulo na região sul, dando início a dois dias infernais de fogo. O incêndio destruiu cerca de 17 mil casas, tirando a vida de 300 pessoas e deixando mais de 100 mil desabrigados. Boa parte das construções de madeira, inclusive o centro da cidade, viraram pó.

Esse evento ficou conhecido como O Grande Incêndio. A partir desta catástrofe, o país investiu em um grande desenvolvimento econômico para reerguer a cidade, reunindo os principais arquitetos e engenheiros do país, desenvolvendo novos materiais para construção civil, como vidro, aço e gesso. 

Foi nessa época que Chicago apresentou ao mundo o conceito de prédios com muitos andares, conhecidos como os grandes arranha-céus. Por onde você olha, Chicago imprime um pouco do antigo e do moderno em suas construções.

Passeio de barco pela arquitetura 

Para conhecer essa história com detalhes, eu recomendo fazer um dos passeios mais tradicionais da cidade, o Chicago Architecture Foundation Center River Cruise, eleito o Melhor Passeio de Barco da América do Norte (Prêmio Escolha dos Leitores do USA Today 2021). A viagem pelo rio Chicago começa na esquina da Avenida Michigan e Wacker Drive, e segue até próximo ao Pier Navy. Ali você aprende sobre o incêndio, e conhece a história de cada um dos edifícios que chamam mais a atenção no skyline da cidade. Os passeios custam a partir de US$ 57 na bilheteria.


Caiaque no rio

Se você faz a linha mais radical, também dá para passear com um caiaque individual. Neste passeio, você sente a adrenalina de disputar espaço com o tráfego movimentado de barcos, ferries e iates do rio Chicago. A volta de 1 quilômetro e meio de caiaque é guiada por um instrutor. Aula rápida de remo e vamos pra água! Dá para contemplar as belezas da orla e ver detalhes de perto, como patinhos descansando. Foi uma grata experiência poder navegar em um rio de uma grande cidade que foi despoluído. Eu fiz com o pessoal da Urban Kayaks, com preços a partir de US$65 na bilheteria. 

Caiaque no rio
Felipe AbílioCaiaque no rio

Museus tecnológicos

Conhecida como uma das 10 cidades Global Alpha, que representa grande influência na economia mundial, Chicago se destaca também quando o assunto é atrações tecnológicas como o WNDR Museum. Presente em algumas cidades dos EUA, cada canto do WNDR é uma jornada multissensorial. Você pode ver, tocar, ouvir e sentir a arte de uma maneira que nunca imaginou. Não somos apenas espectadores olhando. Todos nós somos artistas e fazemos parte da obra quando interagimos com ela.

No tecnológico WDNS Musum você vira o próprio artista
Felipe AbílioNo tecnológico WDNS Musum você vira o próprio artista

​O Ice Cream Museum é altamente recomendado para toda a família, principalmente se tiver crianças. Além de uma viagem lúdica pela história do sorvete, a cada nova sala você também prova um sabor de sorvete. Pensa num passeio que você não quer que acabe? Além de vários jogos interativos durante a visita, você acaba em uma piscina de confetes gigantes. O convite sai a partir de US$23, dependendo do dia.

Ice Cream Museum
Felipe AbílioIce Cream Museum

Festivais de música

A história de Chicago com a música começa logo após a A Grande Migração (1910 a 19449) que levou milhões de afro-americanos do sul rural para Chicago, tornando-a um importante centro de blues. A gravadora Chess Records, fundada em 1950, gravou lendas como Chuck Berry, Muddy Waters e Rolling Stones. As antigas instalações do estúdio agora abrigam o Willie Dixon’s Blues Heaven Foundation, com um museu e apresentações.

Ao longo do ano, Chicago tem uma vasta lista de festivais, como o Festival de Ópera de Chicago, Lollapalooza, Chicago Jazz Festival. Eu cheguei no fim de semana do Market Days, em agosto, que há 40 anos celebra a diversidade de Chicago com um festival vibrante de música ao ar livre. Com cinco palcos, o festival LGBTQIAPN+  leva cerca de 100 mil pessoas às ruas do bairro histórico de Northalsted/Lakeview, a primeira vila gay reconhecida da América do Norte e um marco para a cidade.

Com quase um quilômetro de extensão, esse festival reúne cerca de 250 barracas de comidas e bebidas, além de expositores e todos os bares da região. É uma celebração de amor para toda a família. O Market Days está entre os 10 melhores festivais da cidade, de acordo com a premiação Biz Bash. A entrada tinha uma doação sugerida de US$20. E eu precisei remarcar um jantar porque o festival estava muito bom.

Onde se hospedar


Saint Claire Hotel

Bem localizado, próximo a Michigan Avenue e todas as principais atrações, este hotel é confortável, tem lavanderia, academia, restaurante. A decoração é moderna e o atendimento é ótimo com toda a equipe. Fiquei hospedado nele durante a minha passagem e tive um ótimo custo-benefício com diárias de US$114. 


Godfrey Chicago

Perto de alguns pontos turísticos famosos de Chicago, como United Center e Lincoln Park, este hotel oferece a combinação de bom preço e conforto com quartos espaçosos e modernos, com SPA, academia, bar & rooftop. Tem quartos a partir de US$99. 


The Peninsula

Sofisticado e premiado, este hotel cinco estrelas garante aos visitantes uma hospedagem inesquecível. Com decoração moderna e quartos muito confortáveis, ele ganhou recentemente o prêmio de Melhor Hotel da Cidade nos EUA Continental do Travel + Leisure ‘s World’ s Best Awards 2023. Também é referência pela excelência de seus serviços. Tem SPA numa vibe bem zen, bar refinado várias referências em homenagem às raízes orientais da marca. Encontrar celebridades por lá não é incomum. As diárias começam a partir de US$900.

Como se locomover

O transporte público da cidade como ônibus e metrôs é bem completo e dá para se virar bem. Os bilhetes custam entre US$2,25 a US$2,50. Também tem oferta de carros por aplicativo.

É segura?

Chicago já foi famosa por ter sido o ponto de partida do crime organizado e por ser o quartel-general das maiores gangues americanas desde os anos 50, mas em 2004 houve uma grande transformação com a integração das forças policiais.

Me senti seguro andando pelo centro da cidade, tanto de dia, quanto de noite. Mas é bem importante ficar atento para onde anda e não se arriscar em lugares desconhecidos, afinal, Chicago também é uma grande capital.

No próximo texto, vou contar a experiência gastronômica que vivi na cidade. Um sabor diferente do outro.

Como chegar em Chicago?

Eu voei pela United Airlines em um voo direto noturno partindo de São Paulo. A experiência foi tranquila e confortável. Na pesquisa, a menor tarifa para o trajeto nos próximos meses sai a partir de R$4138, incluindo taxas de embarque. Além disso, o Aeroporto Internacional O’Hare é um dos principais hubs do país, com conexões para o mundo todo.

FONTE TURISMO IG

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade