24 de abril de 2024 00:05

SELVA DE PEDRAS: Lafaiete (MG) é a cidade mais vertical da região; Congonhas e Ouro Preto têm mais moradores morando em casas

Um levantamento encomendado pelo CORREIO DE MINAS, junto Observatório das Metropolizações/IFMG Ipatinga aponta que Conselheiro  Lafaiete (MG) tem mais de 20 mil pessoas morando em apartamentos, o que a 15,76%, do total da população de 131.063, segundo dados do Censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) de 2022. Por outro lado, a cidade tem 109.436 (83,50%) residindo em casas e apenas 692 pessoas (0,53%) moram vilas ou casas de condomínios.

A segunda cidade mais verticalizada da região é Barbacena com 17.558 habitantes (14,11%) morando em apartamentos. Segundo o Censo são 106.121 pessoas (85,28%) residindo em casas. A cidade tem uma população estimada em 124.441 habitantes.

Sem verticalização

Por outro lado, Ouro Preto e Congonhas são as cidades como menor verticalização. Com mais de 52.775 moradores, a Cidade dos Profetas tem apenas 2.169 habitantes (4,11%) residindo em apartamentos. São 50.457 moradores (95,61%) morando em casas.

Já Ouro Preto, com 74.443 moradores, apenas 3.234 pessoas (4,34%) moram em apartamentos e 71.029 (95,43%) residem em casas.

Opinião

Para o Coordenador de Estatística e de Pesquisa (geógrafo William Passos), a verticalização, isto é, a presença de apartamentos na paisagem dos municípios analisados tem relação direta com o grau de adensamento dessas cidades e com as características do relevo. Conselheiro Lafaiete, com 15,76%, apresenta percentual maior de população residindo em apartamentos que a média do estado de Minas Gerais, que registra 12,46%.

Esses percentuais não são muito diferentes daqueles observados em Barbacena, que registra 14,11%. Entretanto, São João del Rei (10,16%), Ouro Branco (9,16%) e Itabirito (8,78%), mas principalmente Mariana (5,72%), Ouro Preto (4,34%) e Congonhas (4,11%) apresentam percentuais muito abaixo da média das cidades mineiras. O resultado destas últimas cidades, no entanto, não surpreende, dado o fato de que se tratam de cidades edificadas sobre relevo muito acidentado. O resultado que chama a atenção é o de Itabirito. Mesmo com relevo mais acidentado que o de Ouro Preto, o município registra mais que o dobro da população da antiga capital de Minas Gerais residindo em apartamentos. Isso significa que o processo de verticalização em Itabirito merece um acompanhamento e um controle mais rigoroso, já que pode representar, entre outros problemas, um maior risco à população domiciliada no município diante de acontecimentos como chuvas torrenciais e enchentes.

População Total

Minas Gerais – 20.436.535 (100,00%)

Lafaiete – 131.063 (100,00%)

Barbacena – 124.441 (100,00%)

J. del Rei – 89.437 (100,00%)

Ouro Preto – 74,433 (100,00%)

Mariana – 60.862 (100,00%)

Itabirito – 53.144 (100,00%)

Congonhas – 52.775 (100,00%)

Ouro Branco – 38.678 (100,00%)

 

População Residente em Casas

Minas Gerais – 17.624.585 (86,24%)

Lafaiete – 109.436 (83,50%)

Barbacena – 106.121 (85,28%)

J. del Rei – 79,468 (88,85%)

Ouro Preto – 71.029 (95,43%)

Mariana – 57.008 (93,67%)

Congonhas – 50.457 (95,61%)

Itabirito – 47.949 (90,22%)

Ouro Branco – 34.949 (90,36%)

 

 

População Residente em Casas de Vila ou Condomínios

Minas Gerais – 214.469 (1,05%)

Barbacena – 484 (0,39%)

Congonhas – 121 (0,23%)

Lafaiete – 692 (0,53%)

Itabirito – 457 (0,86%)

Mariana – 254 (0,42%)

Ouro Branco – 117 (0,30%)

Ouro Preto – 143 (0,19%)

J. del Rei – 820 (0,92%)

 

População Residente em Apartamentos

Minas Gerais – 2.545.522 (12,46%)

Lafaiete – 20.650 (15,76%)

Barbacena – 17.558 (14,11%)

J. del Rei – 9.086 (10,16%)

Ouro Branco – 3.543 (9,16%)

Itabirito – 4.668 (8,78%)

Mariana – 3.481 (5,72%)

Congonhas – 2.169 (4,11%)

Ouro Preto – 3.234 (4,34%)

 

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade