Abaixo assinado pede perícia nas barragens de Congonhas

24
Barragem Congonhas
Barragem Congonhas
Barragem Congonhas
Barragem Jeceaba
Barragem Jeceaba

reocupados com a situação das barragens, moradores de Congonhas, criaram abaixo assinado que já conta com mais de 10 mil signatários que vai pedir junto ao Ministério Público um Laudo sobre a situação das 27 barragens localizadas no município. A intenção é solicitar a Promotoria a contratação de um criterioso estudo para se verificar a segurança e a real situação das barragens localizadas no município de Congonhas que servirá como instrumento e subsídio a ações não somente preventivas, mas também punitivas.
O abaixo assinado pode ser acessado no site: https://www.change.org/p/minist%C3%A9rio-p%C3%BAblico-determine-per%C3%ADcia-nas-barragens-da-cidade-de-congonhas-mg.
Seminário sobre água e mineração
No último sábado, dia 21, a Paróquia Matriz Nossa Senhora da Conceição, os vereadores Rodolfo Gonzaga da Silva e Antônio Eládio Duarte, juntamente com o pároco da Matriz Paulo Barbosa e os representantes dos movimentos de atingidos por barragens (MAB) e mineração (MAM) realizaram um seminário sobre água e mineração, no salão da Igreja Matriz. Foram discutidas e feitas algumas reflexões sobre como as empresas mineradoras afetam a cidade. Logo após, foram apresentadas propostas de como pode ser minimizado alguns problemas, como o de barragens em áreas urbanas.
No dia 18, foi realizada uma reunião na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que tratou do funcionamento da barragem de rejeitos da CSN nas proximidades da área urbana de Congonhas, devido a repercussão do rompimento da barragem de rejeitos de minérios em Mariana.
O prefeito Zelinho disse no programa Entrevista com Prefeito, da Rádio Educativa, nesta segunda-feira, 23, que “a Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais (AMIG) está apoiando a Prefeitura de Mariana e que já estão trabalhando com medidas junto às mineradoras”. Ele ainda garantiu que, em seu mandato, não
autoriza nenhuma abertura de barragem nas proximidades de áreas habitadas ou novo alteamento de barragem no município.

Jeceaba

Enquanto toda a mídia se volta a Mariana, poucas pessoas sabem da construção de mais uma nova barragem de rejeitos, em Jeceaba, no distrito de Caetano Lopes, na divisa entre o município e Congonhas. A mineradora Ferrous vai minerar em Congonhas e tratar os rejeitos em Jeceaba. Os recursos ficarão na “Cidade dos Profetas” mas o ônus da mineração será pago por Jeceaba.
No último dia 5, vereadores, o prefeito Fábio Vasconcelos e o Comdec Regional, ligado ao Codap, visitaram a obdra, coincidentemente, duas horas antes da tragédia ocorrida em Mariana. Os representantes da Ferrous apresentaram o projeto e sua execução e ouviram questionamentos sobre técnicas aplicadas na construção, a fiscalização, os produtos químicos utilizados, o monitoramento.
A barragem está a menos de 5 km em linha reta de Jeceaba com previsão de operação em dezembro de 2016. A estrutura terá capacidade para armazenar 34 milhões de metros cúbicos de material.
Segundo a Ferrous, a engenharia de projeto da barragem foi desenvolvida em conformidade com os requisitos exigidos pelas normas brasileiras, orientada pelas legislações vigentes e adotando as melhores práticas de engenharia. No desenvolvimento de engenharia considerou-se um conjunto de investigações, estudos geotécnicos, geológico, hidráulicos e hidrológicos. Estes estudos permitiram definir a estrutura mais adequada, e a metodologia construtiva.
O projeto da barragem englobou, ainda, a elaboração do Plano de Segurança da Barragem e do Plano de Ação Emergencial, elaborados por profissionais especializados, capacitados e com experiência comprovada em projetos similares. Esses planos estão em fase de atualização e serão divulgados para os representantes da comunidade e poder público local.

Encontro

Nesta quinta feira, dia 26, aconteceu em Jeceaba uma reunião para o Plano de Emergência em Jeceaba, promovido pela Defesa Civil Regional do Alto Paraopeba. Diversos temas relacionados às barragens de minerados foram discutidos para ampliar os conhecimentos em prevenção, ação e socorro à população e municípios se, porventura, ocorrer acidentes semelhantes aos de Mariana, levando em consideração o período chuvoso onde existe iminente perigo de transbordamento dos Rios Camapuã e Paraopeba.

 

Fotos:divulgação