Associação Mineira de Antigomobilismo será lançada em Congonhas

IMG_6834

Neste domingo, 31, será realizado, a partir das 9h, na Estação Ferroviária de Congonhas, o lançamento da Associação Mineira de Antigomobilismo (AMA), primeira entidade estadual voltada para a preservação de automóveis de época. O evento, que contará com apresentação da Corporação Musical Bom Jesus, faz parte do 33º Bate-Papo de automobilistas de Congonhas, promovido pelos clubes do Município: Clube de Autos Antigos de Congonhas (CAC), Opaleiros da Real, Clube do Quadrado, Escoteiros de Congonhas, Uno Clube de Congonhas e Jipe Profetas.

Convidado pessoalmente para a solenidade, o prefeito Zelinho recebeu, na manhã desta terça-feira, 26, em seu gabinete, o presidente do CAC e do Jipe Profetas, Robson dos Santos Elias; o diretor de comunicação do CAC, André Candreva; e o diretor de marketing do Jipe Profetas, José Carlos Gomes, que reforçaram e agradeceram o apoio do Governo Municipal aos clubes automobilísticos de Congonhas.

A AMA é uma entidade pioneira, que tem o objetivo de divulgar ações e fomentar a cultura do antigomobilismo. Cerca de 25 clubes mineiros já aderiram à entidade.

Fotos:divulgação

 

POLICIAIS MILITARES PRENDEM FORAGIDO DA JUSTIÇA E AUTORA DE TRÁFICO DE DROGAS

No dia 23 de janeiro, às 20h55min, Policiais Militares que realizavam patrulhamento preventivo às margens da BR 040 com o intuito de coibir e inibir roubos a postos de combustíveis, perceberam a movimentação suspeita de dois indivíduos. No instante em que os Policiais Militares pronunciaram ordem de parada a ambos, um deles evadiu em uma motocicleta em direção ao Bairro Satélite e o segundo suspeito, correu a pé em sentido contrário, vindo a ser alcançado em uma mata próxima a um posto de combustíveis da região. Abordado e identificado, constatou-se que o indivíduo estava foragido da cadeia pública do município de Barbacena/MG desde o mês de dezembro do ano anterior. Questionado, o autor informou que estava homiziado em uma quitinete situada na Rua Doutor Cândido de Queiroz, Bairro Santa Cruz, em companhia de uma mulher que possui em seu desfavor diversas denúncias de envolvimento com o tráfico de drogas. Ao realizarem diligências no imóvel mencionado, os Policiais Militares sentiram um forte odor de uma substância semelhante a maconha e em ato contínuo, localizaram 15 buchas de substância esverdeada semelhante maconha, todas doladas separadamente e prontas para a venda, juntamente com uma carteira de identidade em nome da companheira do autor. O autor afirmou ter presenciado, por diversas vezes, a mulher dolando as drogas e confessou ter efetuado um roubo no dia 16 de janeiro do corrente ano, a um estabelecimento comercial do município. Tal informação foi fundamentada pelo fato do autor estar trajando a mesma blusa utilizada na ocasião do cometimento do mencionado delito. Mediante as circunstâncias, visto que a suspeita não encontrava-se no imóvel, os Policiais Militares anunciaram o fato às demais viaturas do turno e, posteriormente, a mesma foi localizada e presa por tráfico de drogas. Ambos foram encaminhados à Delegacia de Polícia.

 

 Foto:divulgação

 

URBANICICDADE

Com o criativo título “FORDISMO LEGISLATIVO: UM MAL-ESTAR CIVILIZACIONAL”, o blogueiro João Vitor Rodrigues Loureiro fez um relato no mínimo interessante sobre o funcionamento de nossa democracia. Peço paciência, pois o texto (encontrado no endereço http://jornalggn.com.br/blog/brasil-debate/fordismo-legislativo-um-mal-estar-civilizacional-por-joao-vitor-r-loureiro) é longo, mas vale a pena. Afinal, a inteligência humana é feita de idéias, não é mesmo? Voltaremos ao assunto posteriormente. Vamos lá…

1

“Um dos graves vícios da atividade política nas democracias liberais e, sobretudo, na democracia brasileira, é reputar a transformação social como resultado do número de leis aprovadas. Deputados e senadores atribuem sucesso de suas carreiras políticas ao número de projetos que conseguem aprovar na legislatura para que foram eleitos. Por mais que se insista na complexidade e tamanho (territorial e populacional) do Brasil, é no mínimo insuficiente atribuir à produção de normas a solução mágica de problemas estruturais, os quais dificilmente prescrições legais serão capazes de resolver. Já são mais de 13.000 leis aprovadas, com diferentes conteúdos e teores, desde a proclamação da República, em 1889. Numa apressada conta, considerados os 126 anos de período republicano (e desconsiderados os anos em que o Congresso Nacional esteve fechado em razão de pressões autoritárias), o Brasil viu sancionadas mais de 106 leis por ano. ”

2

“É claro que aqui há diferentes fenômenos que se interpõem: conversão de decretos-lei em leis após 1988, leis que alteram ou atualizam parcelas de texto, leis com conteúdos meramente simbólicos (como a inscrição do nome de pessoas no livro de heróis da pátria ou batismo de pontes e viadutos). Mas chama a atenção o fato do quanto se produziu até aqui. No entanto, é preciso questionarmos mais a fundo as razões dessa produção massiva de leis e banalização da atividade legislativa. Ela representa uma crise de valores constitutivos de nossa sociedade, que reputa soluções (seja por seus representantes, seja pela sociedade civil organizada) de problemas à aprovação de novas e mais novas leis, que supostamente produzem resultados traduzíveis como benéficos. O excesso na produção de leis parece também querer substituir valores pessoais, como diligência, responsabilidade individual e coletiva, ação ética: no momento em que aprovar leis parece ocupar o lugar desses valores, a produção legislativa reforça o – generalista e acintoso – argumento da frouxidão moral da sociedade brasileira.”

3

“Seguindo essa linha, toda ação seria isenta de reprovação, até que a lei considerasse reprovável determinada conduta. Esse caminho é evidentemente temerário. Trilharmos os rumos de nossa cidadania, de nossa democracia, numa espécie de pacto tácito entre legisladores e cidadãos, à espera de boas leis que beneficiem a todos, é amparar-se em muletas frágeis, rachadas, com risco de forte queda em nosso caminhar. Boas leis são resultado de mecanismos eficientes de produção legislativa, que tentam antever os impactos e grau de adesão, na fase em que ainda são projetos de lei. A ignorância de membros do poder legislativo quanto a aspectos técnicos de determinada proposta, quando não convidam especialistas para ouvir e entender os meandros dela, quando ignoram ou não realizam audiências públicas e debates enriquecedores com a sociedade civil, com a academia e com os demais poderes e, ainda, quando desconsideram as condições objetivas, materiais, de recursos mobilizáveis e disponíveis para cumprir determinada previsão legal que esperam aprovar são razões importantes para as chamadas “leis que não pegam” ou “leis para inglês ver”. Precisamos romper com esse ciclo inercial, de uma produção legislativa de larga escala, como se fosse um produto feito na esteira de uma fábrica. Romper com esse fordismo legiferante, um racionalismo legalista que acredita – de maneira dogmática – que problemas de nossa sociedade serão resolvidos com novas e mais novas leis.”

4

“Legislaturas esbaforidas por votar e aprovar (seja em razão dos limites temporais de mandatos, seja em razão de crises políticas institucionais), podem por em risco a qualidade da produção legislativa. “Vamos fazer uma lei para resolver esse problema”…Quem nunca ouviu tais palavras saindo da boca de algum político? Inutilia truncat. Essa era a expressão que descrevia a poesia arcadista. Os poetas árcades do século 18 escreviam seus poemas com o objetivo de suprimir toda a inutilidade da métrica e da estética literária antiga. Produzir leis inúteis, como forma de escape da realidade, é o mal-estar que enfrentamos em nossos dias: leis que jamais serão cumpridas, que apenas parecem justificar a existência da autoridade legislativa, do poder de fazer emanar leis que, de fato, pouco ou nenhum resultado produzem. Romper esse ciclo deve começar com a própria qualificação da atividade legislativa. Com a revisão e compilação do que já se produziu até aqui. Não basta propor, a partir de uma mente racional e individual, como alguns parlamentares fazem. Tomar como ponto de partida a mirabolice individual. Mas submeter ao crivo da qualidade coletiva as propostas. Ouvir, acima de tudo. Já é antigo o ditado que afirma que temos dois olhos, dois ouvidos e apenas uma boca: para que observemos e ouçamos mais que falamos. Seria um bom começo…”

 

Abertura oficial do Ano Letivo será na próxima quinta

Na próxima quinta-feira, 28, acontecerá na Escola Municipal Engenheiro Oscar Weinschenck, a abertura oficial do Ano Letivo de 2016. O evento será dividido nos seguintes horários: das 7h30 às 11h, Professores PEB II, Diretores Escolares, Vice-Diretores, Laboratoristas e Pedagogas. Das 12h às 15h30, Professor PEB I, Professor P1, Professor PEB I Maternal e Cuidadores. Das 16h às 18h, Auxiliares de Biblioteca, Serviço e Serviços Gerais, Cantineira, faxineira, Secretário Escolar e Zelador.

Na ocasião, a secretária municipal de Educação, Maria Aparecida Resende, apresentará o lema que será trabalhado durante o ano e dará boas vindas ao servidores da educação, demonstrando os avanços desenvolvidos pelos profissionais e o compromisso do Governo Municipal

Foto:divulgação

 

Vagas do dia 26/01/2016

VAGAS-DO-DIA-26.01.2016_1

 

Sine – Praça Barão de Queluz nº136, Centro Telefone:(031)3721-6729

Copa Verão e Super Torneio de Férias consolidam esporte em Congonhas

IMG_6653

No mês de janeiro, o Poliesportivo Dom Oscar recebeu competições de alto nível: a Copa Verão e o 2° Super Torneio de Férias, promovidos pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, disputas que  foram sucesso de público e consolidaram, ainda mais, o esporte congonhense. Os últimos jogos foram realizados neste fim de semana.

Super Torneio de Férias

A final do 2º Super Torneio de Férias, que é formado pelas seis equipes melhores colocadas do Torneio de Férias masculino do ano anterior, foi realizada na sexta-feira, 22. O Portela, equipe tradicional da competição, foi o campeão. Sob comando do técnico Rodrigo Lourenço (Caveirinha) e apostando na manutenção da base da equipe do ano passado. O titulo foi conquistado no tempo normal com a vitória por 4 a 3.

Copa Verão

Neste domingo, 24, no encerramento da 14ª edição da Copa Verão de Futsal Masculino Sub-16, após empate de 6 a 6 no tempo normal, o jogo entre Velez e Rapozama seguiu para a prorrogação. Quem levou a melhor foi o Rapozama, que venceu o adversário por 2 a 1 a comemoração teve direito a bandeiras e faixas da torcida organizada do Cruzeiro na cidade de Congonhas. Na categoria Sub-18, o Glicose bateu o Shakthar por 8 a 7 no tempo normal, um jogo emocionante disputado gol a gol e com muitas emoções para os segundos finais quando o Glicose desempatou o jogo e garantiu o título. Já no 4º torneio feminino Sub-18, o Glicose levou a taça de campeão, goleando o Sport por 3 a 0.

Para o secretário municipal de Esporte, José Lúcio de Castro, os torneios promovidos pela Prefeitura consolidam a prática esportiva na cidade dos profetas. “O esporte em Congonhas está se tornando uma referência em Minas Gerais. Isso mostra que o Governo Municipal é comprometido e desenvolve políticas públicas voltadas para o esporte de altíssimo nível”, destaca. Em nome do prefeito Zelinho, que não pode comparecer ao encerramento por compromissos administrativos, o secretário parabenizou os times e o público.

Governo Municipal investe em esporte

Além da Copa Verão e do 2° Super Torneio de Férias, o Poliesportivo do Dom Oscar recebeu outras competições: o 37º Torneio de Férias, em julho, e os Jogos Escolares de Congonhas (JEMC), em setembro de 2015. O ginásio foi transformado em uma praça de esportes devidamente equipada, com boa estrutura para quem pratica e para quem assiste os jogos.

Segundo José Lúcio, o próximo Torneio de Férias de Futsal deve ser realizado no Poliesportivo Central, que está sendo revitalizado. “O Poliesportivo ficará maravilhoso e vai ser muito prazeroso para todos que  frequentarem este espaço requalificado”, completa.

Acesse a tabela completa: http://esporte.congonhas.mg.gov.br/Materia_especifica/6618/Tabela-da-Copa-Verao-e-Super-Torneio-de-2016

Relação final de premiação

 

Copa Verão

 

Futsal feminino Sub-18

 

Campeão: Glicose

Vice-campeão: Sport

Artilheira: Jéssica Aparecida da P. Pereira – 4 Gols (Glicose)

Melhor jogadora: Gabriela Barbosa da J. Pereira (Glicose)

Melhor goleira: Ramayare Christina Fernandes (Sport)

 

Futsal masculino Sub-16

 

Campeão: Rapozama                Valor: R$ 288,00

vice- campeão: Velez               Valor: R$ 192,00

3º lugar: Sport

Artilheiro: Matheus Samuel Silva Condé – 15 Gols (Sport)

Melhor Jogador: Matheus Henrique Paixão (Velez)

Melhor Goleiro: Carlos Daniel F. de Oliveira (Rapozama)

 

Futsal masculino Sub-18

 

Campeão: Glicose                        Valor: R$ 432,00

Vice- campeão: Shakthar            Valor: R$ 288,00

3º lugar: Gunners

Artilheiro: Misael Souza Lima Neto – 9 Gols (Glicose)

Melhor Jogador: Gustavo Henrique G. Medeiros (Shakthar)

Melhor Goleiro: Pedro Henrique dos Santos (Glicose)

 

2° Super Torneio de Férias

 

Campeão: Portela

Vice-campeão: Sport

Artilheiro: Giliard Lucas Lourenço – 7 Gols (Hashtag)

Melhor Jogador: Rodrigo Lorran Santos Leão (Sport)

Fotos;divulgação

 

Atingidos pela tragédia em Mariana criticam ações da Samarco

Moradores relatam dificuldades e criticam controle da empresa para definir ações reparatórias.

“No dia dos fatos, foi como se a vida dos moradores de Paracatu de Baixo parasse e ela continua parada até agora”, disse Rosária Ferreira Duarte, moradora do distrito que pertence a Mariana (Região Central do Estado). Rosária é uma das pessoas atingidas pelo rompimento da barragem da mineradora Samarco, em novembro de 2015, e que esteve presente nesta segunda-feira (25/1/15) em audiência promovida pela Comissão Extraordinária das Barragens da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

O controle exercido pela empresa na condução dos procedimentos subsequentes ao desastre, incluindo a definição de quem seria ou não considerado atingido pela tragédia e, portanto, detentor de direitos reparatórios por parte da empresa, estão entre as principais críticas apresentadas por moradores das regiões afetadas.

Na avaliação de Rosária, as famílias, acostumadas a viver na roça, da lavoura, encontram-se agora em casas alugadas, perdendo a sua própria identidade. “Queremos que sejam resgatadas primeiro as comunidades perdidas no acidente, para que as pessoas não percam suas histórias no meio do caminho”, considerou.

Ela também destacou que, embora existam negociações com a Samarco, elas não estão ocorrendo de forma satisfatória. Segundo ela, a empresa entende que o processo social deveria ser tratado em esfera federal e, em virtude disso, não estaria facilitando as negociações. Entretanto, de acordo com Rosária, as comunidades atingidas desejam que as negociações continuem na comarca de Mariana, para que possam participar. “Paracatu de Baixo foi riscada do mapa e queremos que ela seja colocada no mapa de novo”, disse.

Representante de comunidades menores pertencentes a Mariana e que foram atingidas pelo rompimento da barragem, Mauro Lúcio Santos Paes Pinto, defendeu que o processo social da tragédia seja mantido em Mariana. Ele pediu o apoio da comissão para isso, questionando como seria possível que as comunidades acompanhassem o processo, caso ele fosse transferido para o âmbito federal.

 

Foto: Pollyanna Maliniak

 

Casa do Teatro lança o XVI Festival de Artes Cênicas

10

17

A apresentação da 16ª edição do Festival de Artes Cênicas de Conselheiro Lafaiete, ocorreu em um encontro cultural , realizado no dia 23 de janeiro, sábado,
na sede do Centro Cultural Casa do Teatro. Na ocasião, foram anunciados o homenageado desta edição do FACE – Profº Paulo Antunes, a data da realização do
evento, a música tema, o edital de participação (disponível no link Regulamento) e a logomarca do mesmo, exposta ao lado.
Participaram do evento, dirigentes e representantes de segmentos culturais de nossa cidade, o homenageado e a Secretaria de Cultura do Estado, através da
visita do Secretário Adjunto João Miguel. Foi um dia de interlocução entre agentes culturais, comunidade e gestor público estadual, gerando perspectivas de
novas e melhores políticas públicas de cultura. Afinal, #JuntosSomosMais

“SORRISOS” NA CHEGADA

O Secretário Adjunto de Cultura – João Miguel, foi recebido pelos Doutores do Sorriso e outros membros, assim que chegou ao Centro Cultural.
Um delicioso café foi servido, enquanto as dependências eram apresentadas ao mesmo. João Miguel bateu um papo descontraído com os integrantes da Casa do
Teatro, destacando que, a Audiência Pública ocorrida em setembro último, motivou esta visita.

MINEIRANDO

Mesmo com uma agenda extensa em sua rápida visita à Conselheiro Lafaiete, o Secretário João Miguel pode ver alguns pontos turísticos da cidade, como a
Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição e o Solar do Barão de Suaçuí recém restaurados; a Casa de Cultura e a Casa do Artesanato tão necessitadadas
de intervenção.
Em seguida, no Restaurante Villas e Gourmet que gentilmente nos recebeu para um almoço, o secretário pode conhecer a história da Viola de Queluz e outras
histórias desta terra através dos painéis do artista José Fernando. Registramos aqui, nosso agradecimento ao Restaurante Villas e Gourmet pela cortesia.
VAI COMEÇAR O FESTIVAL DA DIVERSIDADE
O homenageado desta edição do FACE, Professor Paulo Antunes, foi recebido por Geraldo Lafayette, o vice presidente do Centro Cultural Leley Silva e pelo
Secretário Ajunto João Miguel, abrindo o encontro cultural da tarde de sábado. Alem de lançar oficialmente os preparativos para o Festival de Artes
Cênicas, o encontro possibilitou a participação dos grupos culturais em um bate-papo franco e direto com um representante cultural do Estado. Em sua
fala, João Miguel destacou a importância da coletividade, do diálogo com as mais diversas representações culturais, e a importância da descentralização
da gestão pública contemplando de forma mais efetiva o interior. Depois de esclarecer dúvidas, a palavra foi transferidade ao Profº Paulo Antunes, que,
entre citações literárias e brincadeiras, agradeceu a homenagem e deixou a certeza de que a festa está apenas começando.

VALEU !!!

Participaram desta tarde, grupos e representantes culturais, que reconheceram e fizeram a importância deste encontro. Citamos:
– Grupo Alforria
– Ponto de Cultura AMAR
– LESMA
– Irmandade de Congadeiros Nossa Senhora
do Rosário – Cons. Lafaiete
Região Mariana Oeste
– Projeto União do Morro
– Academia de Ciências e Letras de CL
– Escola de Samba Unidos do São João
– CAPPAZ
– Loja Maçônica Estrela de Queluz
– Projeto Portas Abertas
– Conselho da Igualdade Racial
– Comunidade e artistas independentes.

 

Por Jaqueline Ribeiro

 

Após tumulto generalizado tiro de PM atinge e mata cidadão

Na madrugada do dia 24 de janeiro, por volta de 01h00, Policiais Militares compareceram a uma danceteria situada na Praça Primeiro de Março,  em Catas Altas da Noruega, para averiguação a várias denúncias que informavam sobre a ocorrência de um tumulto generalizado envolvendo pessoas que frequentavam o local. Ao chegarem no imóvel, os Policiais Militares constataram a ocorrência de brigas em razão do consumo exagerado de álcool e drogas. Em razão disso, os Policiais Militares realizaram contato com o organizador da festa e explicaram a este sobre a necessidade de finalizar o evento, visto as condições em que se encontravam os participantes. Tal fato incitou os presentes, os quais, exaltados, foram ao encontro dos Policiais Militares que permaneciam na mencionada praça Primeiro de Março. Cercados pelo grupo de indivíduos, os Policiais Militares passaram a sofrer ameaças e por meio de comandos verbais, pediram para que os cidadãos se afastassem, todavia, em determinado momento, alguns indivíduos passaram a agredir fisicamente os Militares. Dentre os agressores, um deles conseguiu arrancar o bastão de madeira das mãos de um dos Policiais Militares e passou a agredi-lo. Em uma ação para impedir a agressão, o Policial Militar efetuou, em primeiro momento, um disparo na perna do agressor, todavia, o mesmo continuou o intento, motivando um segundo disparo, vindo este a atingir o abdômen do autor. Após o fato, imediatamente, o cidadão foi conduzido até a Maternidade São José para atendimento médico. Contudo, durante o procedimento cirúrgico, o mesmo veio a falecer. Em posse de outro cidadão contido pelos Policiais Militares foi encontrado uma substância semelhante à cocaína, apreendida e entregue na Delegacia de Polícia. Diante dos fatos, O Policial Militar foi conduzido à presença da Autoridade de Polícia Judiciária Militar para as demais providências e a arma de fogo utilizada pelo mesmo foi apreendida.

foto:reprodução

 

Música, teatro e dança marcaram encerramento do Festival de Verão

As salas e o teatro da Escola Municipal Fortunata de Freitas Junqueira foram palco de intervenções de teatro, dança e música na noite desse sábado, 23, no encerramento do 1º Festival de Verão. As apresentações contaram com a participação dos alunos e dos professores que ministraram oficinas de capacitação durante o evento, promovido pela Associação Congonhense de Artes (ACART), entidade conveniada à Prefeitura por meio do projeto Arte na Escola. Estiveram presentes o prefeito Zelinho, a secretária municipal de Educação, Maria Aparecida Resende, e a coordenadora do Arte na Escola, Kátia das Graças Souza.

Entre os dias 20 e 23 foram ministradas 11 oficinas nas áreas de artes plásticas, música, dança e teatro. Alunos do projeto Arte na Escola e do Garoto Cidadão, além de artistas locais, participaram do Festival, que teve,como objetivo, formar novos artistas e reciclar o conhecimento daqueles que já atuam no cenário artístico.

O prefeito Zelinho destacou a importância do projeto Arte na Escola, que permite o acesso dos alunos da rede municipal de ensino à arte e a cultura, e os avanços feitos na educação. “Ficamos muito felizes em poder propiciar mais este importante serviço, principalmente na área da educação. Fico feliz em saber que o município tem uma orquestra formada por mais de 80 alunos da rede municipal. Poucas cidades oferecem o que estamos oferecendo. É gratificante como prefeito, oferecer isso à população, principalmente aos jovens. Quando assumi a Prefeitura, tínhamos três escolas em horário integral, agora são 17. Nossa intenção é expandir, para que os alunos tenham aulas de música e outras atividades. É importante eles estarem envolvidos com a arte e a cultura”, finalizou.

Segundo a secretária municipal de Educação, Maria Aparecida Resende, muitos talentos foram fortalecidos e descobertos durante o Arte na Escola e outras atividades desenvolvidas, como pintura em tela e biscuit. “Abraçamos a ideia do Festival de Verão para que os professores e alunos do projeto pudessem interagir e terem uma nova aprendizagem”, completou.

O diretor geral do Festival de Verão e professor do Arte na Escola, Nilo Sérgio, agradeceu o apoio do Governo Municipal e explicou a iniciativa: “Percebemos que precisávamos trazer outros profissionais para que pudessem nos dar outra visão e mais conhecimento, para aprimorarmos ainda mais o nosso trabalho. Tivemos a felicidade de contar com profissionais do mais alto nível. Para que isso acontecesse, foi importante o apoio do poder público, por meio da Secretaria de Educação, e da Fundação CSN”.

Foto:divulgação

 

about

Be informed with the hottest news from all over the world! We monitor what is happenning every day and every minute. Read and enjoy our articles and news and explore this world with Powedris!

Instagram
© 2019 – Powedris. Made by Crocoblock.