Está difícil pagar as contas e sair do vermelho? Confira como conseguir um empréstimo com taxas menores

19

Infelizmente a pandemia atacou muitos setores, além da saúde, sendo um deles a economia mundial; veja como funcionam as taxas de juros e quais as opções de empréstimo

Neste momento atual que o mundo todo está vivenciando, uma das maiores preocupações das pessoas é as dívidas. Infelizmente a pandemia atacou muitos setores, além da saúde, sendo um deles a economia mundial. Com isso, surgem as dúvidas de como sair do vermelho, qual a melhor opção de empréstimo, além das taxas que muitas vezes são bem altas.

Um dos problemas que as pessoas, que estão à procura de um empréstimo, passam é a agilidade na aprovação. Se tratando na agilidade para que a solicitação seja aprovada, consequentemente, o valor da taxa se torna mais alto, ainda mais se tratando do pagamento de parcelas.

Como funcionam as taxas de juros

O Banco Central divulgou algumas alternativas destacando pontos importantes referentes aos empréstimos, que muitas pessoas não sabem que ocorre. Foi divulgado recentemente com a descrição: “Cooperativas de crédito versus bancos privados: comportamento após a captura de novos clientes”.

É exemplificada a forma de comportamento dos bancos. Geralmente eles oferecem taxas de juros mais baixas e depois tendem a ficar mais altas, sendo assim é ampliado o lucro nos próximos empréstimos. É importante destacar que as cooperativas aumentam seus juros em uma escala menor que os bancos privados.

Quais as opções

Uma das opções é a Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEPs), a qual a pessoa consegue melhores condições, mesmo a comparação sendo realizada entre cooperativas. O processo é mais fácil e prático. A SEPs é regulamentada, desde o ano de 2018, pela resolução 4.656 do Banco Central. A opção é definida como “a instituição financeira que tem por objeto a realização de operações de empréstimo e de financiamento entre pessoas exclusivamente por meio de plataforma eletrônica”.

De forma mais simples, funciona como uma instituição que intermedia crédito entre pessoas físicas. No caso, fazem parte do grupo pessoas que desejam emprestar e quem precisa de empréstimo. Sendo assim, se torna mais prático, pois não tem muitos processos democráticos. O principal objetivo é permitir que o contratante possa ter uma opção mais acessível que as instituições tradicionais, nas quais as taxas são muitos altas.

Como fazer

O que auxilia muito é o aplicativo Bulla, que ainda não é muito conhecida, mas que traz ótimas estratégias para quem precisa pagar as contas. O Bullla é uma plataforma online que atua como Sociedade de Empréstimos entre Pessoas.

O aplicativo faz uma avaliação do perfil do interessado, e consegue apresentar as melhores opções de forma rápida e transparente. Também faz simulações em ambos os casos – quem quer emprestar e quem quer contratar.

Ao contrário das cooperativas e bancos privados, que têm taxas muito elevadas de juros, mas que baixam as taxas de juros para atrair clientes para depois aumentar, Bullla, a taxa cai. De acordo com a situação do cliente, já a partir de sua terceira operação, é possível obter uma taxa 30% menor, sendo que na quarta esse percentual é de 50%.

De forma simples, a plataforma premia o bom pagador e a sua fidelidade. Todos os detalhes sobre os serviços oferecidos podem ser conferidos em https://www.bullla.com.br/

Já conhece o Pronampe? Confira tudo o que você precisa saber para pedir o empréstimo

Por Sabrina Borges/Clic Camaquã

 

Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), como o próprio nome já informa, é uma linha de crédito específica para micro e pequenas empresas. Cerca de R$16 bilhões haviam sido disponibilizados no início do programa e foram esgotados em um mês.

A novidade mais comentada nos últimos dias, é que o recurso vai receber R$12 bilhões para ter continuidade. Isso será possível depois da sanção da MP 944/2020 pelo presidente da Jair Bolsonaro. A medida foi aprovada na quarta-feira (29/07), na Câmara dos Deputados.

Algumas alterações foram feitas no documento, em relação à proposta anterior. O Pronampe pode ser utilizado para pagamento de colaboradores, fornecedores, aluguel e contas outras contas de manutenção da empresa.

Para solicitar empréstimo:

As empresas precisam estar adequadas às seguintes normas para solicitar o empréstimo: 

  • Microempresas devem ter o faturamento anual de até R$ 360 mil

  • Pequenas empresas devem ter o faturamento anual de R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões

  • Devem estar adequadas às políticas de crédito do banco escolhido

  • Devem estar em dia com as declarações enviadas à Receita Federal

 

Principais Bancos que oferecem o empréstimo:

Tempo para receber o recurso:

Alguns empresários podem achar que o período para receberem os valores do empréstimo são demorados. Isso ocorre porque o processo de contratação é bem burocrático e acaba passando a imagem de devagar.

Como a maioria das contratações em bancos, ainda não estão adequadas às tecnologias, como é o caso da assinatura digital, que dá ao documento validade legal, as contratações do empréstimo ainda precisam da presença física dos empresários para assinar o documento. Esse fator, com certeza pode colaborar com a demora no processo de contratação.

Outras informações importantes:
  1. Taxa de juro: A taxa de juros do Pronampe é de 1,25% ao ano, acrescido da taxa Selic (atualmente em 2,25% ao ano).

  2. Prazo para pagar: O prazo para pagar é de até 36 meses, com carência de oito meses.

  3. Limite de operação: O limite será de 30% do faturamento de 2019.

  4. Demissões: Empresas que utilizem o programa não podem demitir colaboradores por dois meses.

  5. Período do programa: A previsão de duração do Pronampe é até novembro, mas o governo espera que o valor adicional se esgote antes deste período. (Clic Camaquã)