Fim da novela: depois de 10 anos de luta, viaduto do Pires está perto do capítulo final de construção

26
Na semana passada caminhão foi arrastado pelo trem / DIVULGAÇÃO

Em reunião virtual realizada, nesta segunda (03) mediada pelo Ministério Público, MRS e Prefeitura ganharam mais 20 dias para a definição final do local e do projeto de engenharia para a construção do viaduto sobre a linha férrea, no Bairro Pires, em Congonhas.
O Promotor Vinicius Alcântara espera a finalização e acordo entre as partes para homologar o TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) e MRS iniciar a construção do tão sonhado viaduto, anseio da comunidade há mais de 10 anos. As normas para a construção do elevado seguirão as orientação da ABNT e demais legislações pertinentes para a conclusão técnica final. Caso as partes não cheguem a um consenso, o Ministério Público pode acionar a Justiça.
MRS se comprometeu a construir viaduto em Termo de Ajustamento de Conduta firmado entre Ministério Público do Estado de Minas Gerais, MRS, Município de Congonhas.

A história

Depois da conclusão da passarela do Pires, sobre a BR 040, uma outra obra se tornou uma novela sem

Victor Emídio Matos Gomes foi vítima de um acidente com um trem/Divulgação

capítulo final. A construção do viaduto sobre a linha férrea é objeto de dois inquéritos civis e dois processos na justiça, todos versando sobre a segurança daquele trecho.
A falta de um viaduto já provocou mortes e inúmeros acidentes. No sábado passado (25), um caminhão foi arrastado pela composição da MRS ao através a linha. Por sorte o motoristas teve apenas ferimentos leves.

Mãe chora perda do filho na linha

Em 2015,  um trem vitimou o jovem Victor Emídio Matos Gomes, então com 17 anos, e trouxe de volta a discussão sobre a falta de segurança nos trilhos que cruzam o bairro Pires, em Congonhas. Era por volta das 23:00 horas, quando o rapaz voltava da escola com mais dois colegas, e pelo que se comenta, escorregou e caiu nos trilhos, sendo atingido pelas locomotivas.
Desde então a família da auxiliar de serviços, Maria Aparecida Gomes, se transformou por completo desencadeando um trauma. hoje ela toma remédios para conter a depressão. “Não consigo mais dormir e a vida da minha família mudou. As lembranças fazem a gente sofrer”, relatou a nossa reportagem. A família acionou a MRS por descaso e omissão e cobra indenização. A ação tramita na Justiça.

Promotor Vinicius Alcântara Galvão/Reprodução

O Bairro
O bairro Pires existe há mais de cem anos. Na década de 90, a ferrovia o dividiu ao meio. A lei determina, na prática, que quem chegou depois – no caso a MRS, responsável pela ferrovia, assuma os encargos pela construção e manutenção das obras e instalações necessárias ao cruzamento, bem como pela segurança da circulação no local, por força do decreto 1.832,que aprova o regulamento dos transportes ferroviários.