Lafaiete: bebê morre em hospital e pais acionam a Justiça sobre suposta negligência médica

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Estava todo o enxoval preparado para receber João Miguel ao mundo, mas, o Natal para Amauri Souza, de 27 anos, e sua esposa, Kemily Stéfani, de 25 anos, foi trágico e eles ainda se recuperam após o drama da morte do filho.

João Miguel com apenas um dia de vida / DIVULGAÇÃO

Nossa reportagem esteve na residência do casal, em Lafaiete, que relatou em detalhes a morte precoce do filho, de apenas um dia vida. Kelimy fez o pré natal no Posto do São João que fica a menos de 300 metros de sua casa.

No dia 23, ela procurou a unidade de saúde e o médico a encaminhou para o parto no Hospital Queluz. O bebê já estava com mais de 9 meses de gestação.

A futura mãe internou por volta das 8:30 horas e deu a luz por volta das 10:00 horas por cesárea. Segundo ela, João Miguel nasceu em perfeitas condições de saúde conforme até mesmo o médico lhe garantiu. “Recebemos até o parabéns pela saúde do nosso filho”, relatou.

Aqui começa o drama do casal. Após o nascimento, o bebê foi levado incubadora. Conta Amauri e Kemily que viam o filho pela vidraça e os enfermeiros sempre afirmavam que o bebê estava bem. Em certo momento, ele começou a ficar ofegante quando foi colocado um oxigênio para melhorar a respiração. “A gente estava apreensivo com a situação, não era para menos. Mas os enfermeiros afirmavam que em breve o nosso filho sairia da incubadora, mas no dia seguinte recebemos a notícia trágica da morte de João Miguel”, comentou Amauri. “O que não entendemos é porque da demora em transferir nosso filho para outro hospital com melhores condições em equipamentos. Ele nasceu bem e sem mais nem menos ele morreu. Ainda não encontramos uma resposta convincente que nos confortasse”, assinalou Kemily.

João Miguel faleceu no dia 24 por volta das 6:00 horas e foi sepultado no Cemitério Nossa Senhora da

Pais de João Miguel Amauri Souza e Kemily Stéfani / DIVULGAÇÃO

Conceição. O que incomoda aos pais foi a falta de informação sobre a situação real da saúde de João Miguel. “Não tínhamos informação direito e menos de 24 horas nosso filho perdeu a vida dentro de hospital”, afirmou Amauri.

Passados uns dias do falecimento, o casal registrou um boletim de ocorrência e contratou um advogado para atuar no caso. “Nós queremos esclarecimento sobre a verdadeira causa da morte. Estamos indignados com tudo o que ocorreu  com nosso filho. Queremos a justiça neste caso”, disseram o casal.

Na certidão de óbito consta parada cardio-respiratória como a causa da morte de João Miguel, mas os pais acreditam suposta negligência médica. Segundo o advogado do casal, o juiz deve nomear um perito médico para o caso e em outra hipótese até mesmo exumação do corpo para identificar a causa da morte.

O outro lado

Nossa redação enviou a quinta feira (16) questioamentos a direção do hospital Queluz, mas até o fechamento desta reportagem não havia recebido as respostas. Ainda aguardamos a posição da instituição.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

3 comentários em “Lafaiete: bebê morre em hospital e pais acionam a Justiça sobre suposta negligência médica

  • 18 de janeiro de 2020, 15:55, em 15:55
    Permalink

    Isso é um absurdo eles tem que informar o que aconteceu com o bebe pq toda família sofre muito por isso então queremos uma resposta do que aconteceu no existe uma criança com saúde boa e morre ….queremos resposta pq não merecemos sofre……..

    Resposta
  • 19 de janeiro de 2020, 15:04, em 15:04
    Permalink

    Esse hospital é so Jesus na calsa, so tem ” profissional ” se pode ser chamado assim , mal qualificado , ignorantes , não respeita as pessoas
    Tem que ver o que eles fazem com as crianças q ficam na incubadora no berçario
    Todas mamães que ganhem seus filhos no hospital queluz
    Nunca deixe eles sozinho so com as enfermeiras, porque muitas delas maltratam os pequeninos.
    Senhores que dizem ser profissional e que prometeram salvar vidas( enganadores) vocês vão prestar conta com Deus de cada criança que voces maltratam e matam
    A justiça de Deus não falha

    Resposta
  • 22 de janeiro de 2020, 19:00, em 19:00
    Permalink

    Estive uma vês nesse hospital bosta nunca esqueçer meu filho estava com uma coceira no anus.fui aí hospital 3 da madrugada médico mal educado disse que era sujeira de coco voltei para casa com a vontade de ter dado nele um soco no nariz, pesquisei na internet e descubri que se tratava se um verme chamado oxirius, comprei a pomada e reaolvi

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *