PROVE e Toninho do PT trocam farpas

96
Vereador Toninho do PT/Foto:Arquivo

silfertA eleição presidencial, que tem dividido opiniões no Brasil de ponta a ponta, foi também o foco principal de discurso proferido na Câmara Municipal de Conselheiro Lafaiete pelo vereador Toninho do PT. O parlamentar usou a Tribuna da Câmara para cobrar do PROVE – Projeto Voto Ético -, movimento que, no primeiro turno das eleições, se empenhou em conscientizar o eleitor lafaietense a votar em candidatos que se identificassem mais com a cidade, a se posicionar na disputa em torno do cargo de maior importância para o país:
“Estou aqui na Tribuna para revelar duas constatações que concluí nesta semana. Não é para mudar o voto de ninguém, nem para atingir A ou B. A primeira é: Para Lafaiete o melhor é a vitória de Dilma. Conscientização essa que o PROVE deveria estar fazendo junto à população da cidade. Por que afirmo isso? Pelo alinhamento dela com o governador eleito Fernando Pimentel. Pela eleição de seis deputados ligados à Lafaiete que se entrosam muito bem com Dilma. O que com certeza facilitará, se ela for eleita, um trabalho do atual prefeito, dos seis deputados e do próprio Glaycon Franco, que, independentemente de tudo, vai trabalhar para o bem da cidade. Todas essas lideranças terão facilidade de trabalhar no governo estadual e federal. Pode acontecer com uma vitória do Aécio que Conselheiro Lafaiete fique prejudicada, numa possível retaliação. Estou aqui não emitindo uma opinião partidária. Estou raciocinando do ponto de vista defendido pelo PROVE, procurando o melhor para o lafaietense. Por tudo isso, para mim essa constatação é óbvia” analisou o vereador.
Sobre o pronunciamento do Vereador Antônio Severino, que usou a Tribuna da Câmara para falar que o PROVE deveria trabalhar em prol da candidatura da atual Presidente do Brasil, Dilma, o Presidente José Cruz Siffert (foto) respondeu: “Acho interessante a campanha política do citado vereador, em plena Tribuna da câmara, tendo em vista não ter feito o mesmo no momento que a cidade e região precisavam de discurso inflamado para a conscientização dos eleitores de Lafaiete quanto a necessidade de um representante, logicamente em condições para tanto.

Leia a matéria completa na edição impressa do CORREIO DE MINAS