Rio Espera chega a 4 casos confirmados; decreto fecha setores do comércio e prevê multa para que não usar máscara

34

Comércios são obrigados a cumprir medidas sanitárias, evitar aglomeração  e respeitar o distanciamentos, sob pena de multa

Uma cidade ainda abalada e assustada com a recente morte de um jovem, de 29 anos, por covid-19 ocorrida na última sexta-feria (13). Três dias depois, Rio Espera tem 21 notificados, 12 monitorados e 4 casos confirmados, sendo que uma paciente encontra-se internada em Hospital da Campanha, em Lafaiete.

Decreto

Já está valendo desde hoje o Decreto nº38, editado pelo Prefeito Lúcio Marcos Silveira, conhecido como Marquinhos Matipó, que prevê a abertura apenas do serviços essenciais a população. O texto prevê multa, após notificação prévia, para os cidadãos que estiverem sem máscaras em locais públicos. Os donos de comércios devem providenciar máscaras aos funcionários e clientes como também locais de higienização com álcool gel 70% .

É obrigatório nos estabelecimentos comerciais a manutenção de no mínimo de 2 metros de distanciamento entre clientes e colaboradores, como também limitar em 50% a área de circulação interna para evitar aglomerações. Grupos de riscos terão horários exclusivos para o atendimento público. Hotéis e pousadas poderão servir refeições somente individualizadas.

Os comércios que desrespeitarem o decreto podem ser multados em até R$ 1 mil e até mesmo suspensão de alvarás. Aqueles que desrespeitarem o distanciamento de 2 metros podem ser multados em R$100,00, mediante notificação prévia. Cultos, missas e celebrações ficam suspensas, como também shows, festas que resultem em aglomerações. O decreto tem vigência de 8 dias, mas pode ser estendido caso haja necessidade em função do contágio do vírus.

Já os cidadãos externos provenientes de outras cidades deverão permanecer em quarentenas de 14 dias, como como, não podem participar de eventos públicos ou reuniões, devendo permanecer em suas casas.