Sandro José: o hospital regional não sai neste governo e critica investimentos na policlínica

14
O vereador Sandro José/CORREIO DE MINAS

O Vereador Pedro Américo, apresentou um requerimento na Câmara, quando cobrou informações à Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais sobre os trabalhos do grupo instituído pela Resolução SES/SEPLAG/SETOP n2 247, de 4 de fevereiro de 2019, o qual tem como objeto promover estudos e propor medidas para viabilizar a implantação do Hospital Regional de Conselheiro Lafaiete. O edil provocou um intenso debate sobre a obra inconclusa que se arrasta há mais 10 anos. “O governo do Estado ficou de concluir este estudo, mas o prazo estipulado ultrapassou os 60 dias. A gente quer saber é sobre este estudo. Qual a finalidade que o Governo do Estado pretende como hospital?”, questionou.

Aproveitando a oportunidade, o Vereador Sandro José (PSDB) lançou um desafio, desacreditando que o Governo Zema (NOVO) vá concluir a obra. “Não acredito que este Governo vá concluir o hospital como PÚBLICO e quiçá o próximo. O problema não é a conclusão e sim a sua manutenção que gira em torno de R$8 a R$10 milhões segundo informações. Duvido que o Estado vá assumir esta responsabilidade. Ele está cortando exames e cirurgias especializadas”, comentou.

Sandro voltou a sugerir que a obra seja transformada em uma UPA ou um centro de especialidades médicas. “Podemos transformar aquela obra em uma grande UPA, um centro de especialidades médicas, ou uma clínica de imagem. Ou mesmo transformar o local em um centro de planejamento de saúde do Município aglutinando a estrutura da secretaria municipal de saúde e seus serviços”, apontou. Sandro não deixou de criticar as emendas parlamentares destinadas a reforma da policlínica, comparando a situação como “remendar roupa velha”. “Estes R$2 ou R$3 milhões poderiam ser investidos no hospital regional”, afirmou.

Prédio da policlínica não atende as necessddades da população

“Remendo novo em roupa velha não funciona”, referindo a gasta tanto dinheiro num prédio que não atende mais as finalidades. Será que o tal Hospital Regional será públlico do jeito como foi planejado ou será entregue a iniciativa privada? É necessário agir com cautela, mas com agilidade”, finalizou

O Vereador Lúcio Barbosa (PSDB) afirmou que a prioridade seria estruturar todos os PSF’s de Lafaiete antes de concluir o hospital regional. Chico Paulo (PT) criticou os desvios de R$5 milhções da obra apontada em auditoria. “Para mim é R$13 milhões jogado fora”, disparou Pedro Américo.

Leia também: Pedro Américo reclama de obras paralisadas e insinua que próximo governador não conclui o hospital regional

Hospital regional: de elefante branco a monumento das pulgas e memorial da incompetência