Vereadores criticam demora de reparos em carro da ronda escolar e cobram volta do serviço; secretário contesta e diz que não houve suspensão

17
O vereador Oswaldo Barbosa cobrou mais segurança nas escolas/Arquivo

Um requerimento, do vereador Oswaldo Barbosa (PP), cobrando informações sobre o andamento do reparo do veículo da “ronda escolar”, usado pela Guarda Municipal para monitorar a seguranças nas escolas, foi alvo de intensas críticas e cobranças ao Executivo Municipal.

Os vereadores criticaram a lentidão na reforma do veículo como sugeriram a sua imediata substituição. “Nós vemos carros em alta velocidade, motoristas empinam motos na saída dos alunos. Acredito que guarda deveria ser distribuídos estrategicamente pela cidade para levar seguranças aos pais, professores e a comunidade escolar. Qual o prazo para retornar o veículo à corporação, tendo em vista a utilidade da prestação deste serviço à comunidade”, justificou Barbosa.

O vereador João Paulo Pé Quente (DEM) elevou o tom de críticas e cobrou um novo carro para não comprometer o serviço. “A desculpa é falta do carro. Mas a prefeitura tem inúmeros veículos que poderiam manter a ronda escolar. Que há 4 anos não funciona. Não podemos esperar que façam nova licitação. A própria secretaria de educação dispõe de carros que podem fazer este serviço”, disparou. “A ronda escolar ajuda a prevenção de acidentes, a prevenção de drogas. Falta gestão”, apontou o vereador Pedro Américo (PT). Ao suar a palavra, o vereador Fernando Bandeira (PT) foi incisivo a volta da ronda escolar.

O outro lado

O Secretário de Defesa Social, Pedro Loureiro, contestou a versão de que o serviço foi suspenso. “O serviço não foi comprometido e estamos fazendo a ronda de forma estratégica na cidade”.

Foto d ecapa ilustrativa