Vereadores ganham mais 90 dias para investigar crise em presídio de Lafaiete

7

Os vereadores de Lafaiete aprovaram ontem (20) requerimento em que prorroga por mais 90 dias o prazo para a conclusão da investigação e apuração de denúncia de irregularidades e maus tratos ocorridos no presídio de Conselheiro Lafaiete pela Comissão de Direitos Humanos, Cidadania, Defesa da Pessoa com Deficiência e do Direito do Consumidor.

No dia 20 de maio, um grupo de detentos iniciou um princípio de rebelião e greve de fome diante da situação de superlotação e condições sub-humanas no presídio. O fato ganhou repercussão e alguns presos foram transferidos revoltando familiares. Os incidentes geraram uma crise quando a beira de um colapso, à época com quase 380 detentos, o juiz da Vara Criminal e de Execuções Penais, Paulo Roberto da Silva anunciou medidas para aliviar a grave situação, entre as quais transferências para a APAC e a antecipação da prisão domiciliar. A capacidade do presídio é de mais de 100 detentos. O

Juiz classificou a situação como “tremendo desafio”.

Leia mais: Familiares denunciam transferências arbitrárias de presos no presídio de Lafaiete e situação chega a Assembleia de Minas

Crise no presídio: medida transfere 100 detentos de Lafaiete para APAC e outras cidades

Vereadores criam comissão para apurar denúncias de maus tratos em presídio

À beira de um colapso, Juiz anuncia medidas para estancar crise no presídio que comporta 3 vezes mais nº de presos; familiares voltam a protestar em frente ao fórum