Vereadores polemizam em torno da abertura do comércio no feriado de 8 de dezembro

13
Vereador João Paulo fez um duro discurso em que expressou descontentamento com a atitude de lafaietenses que correram aos postos para abastecer seus veículos/CORREIO DE MINAS
Vereadores polemizam em torno da abertura do comércio no feriado de 8 de dezembro/Reprodução

Desde o último domingo, dia 26, quando o padre José Maria Coelho, durante missa, criticou duramente a abertura do comércio em pleno feriado municipal da padroeira de Lafaiete, Nossa Senhora da Conceição, comemorado na próxima sexta feira, dia 8, a polêmica dividiu as opiniões. O religioso foi além e pregou um boicote dos católicos a iniciativa do SINDCOMÉRCIO.

Ontem a noite, dia 30, o tema mobilizou os vereadores durante reunião semanal. O líder do prefeito, o vereador João Paulo Pé Quente (DEM), defendeu a liberdade de escolha do empresariado local. “Nós não temos como impedir a abertura do comércio. O feriado foi instituído pelos vereadores, mas um acordo coletivo entre os representantes dos empresários e dos empregados permitiu que os estabelecimentos abrissem suas portas o feriado. Os empregados vão ganhar por hora extra. É o livre arbítrio de cada empresário e não temos interferir esta questão. A nossa parte foi feita instituindo o feriado”, justificou. “Eu defendo que o comércio não abra neste dia em respeito a nossa padroeira”, comentou o vereador José Lúcio Barbosa (PSDB).

O vereador Pedro Américo (PT) posicionou-se contra a abertura. “Se o comércio e as entidades não respeitam o Dia de Nossa Senhora da Conceição eu respeito”, assinalou. Já o Presidente da Câmara, o vereador Sandro José (PSDB) defendeu o respeito a tradição religiosa. “Os não temos como interferir na questão entre abrir ou não e ultrapassa nosso poder. Eu vou seguir minha espiritualidade, respeitar o feriado, mas não temos como convencer as pessoas em torno de seguir o feriado. Mas ele existe para ser cumprido’, resumiu.