24 de maio de 2024 16:06

Novo lote do Auxílio Emergencial será liberado esta semana; veja quem tem direito

Os novos pagamentos são referentes as contestações de beneficiários que tiveram o pagamento da sétima parcela do coronavoucher negado. A previsão é que os recursos sejam liberados ainda esta semana.

Em outubro, os pagamentos do Auxílio Emergencial foram oficialmente encerrados pelo Governo Federal. Todavia, recentemente o Ministério da Cidadania divulgou a liberação de um novo lote para beneficiários do programa.

Os novos pagamentos são referentes as contestações de beneficiários que tiveram o pagamento da sétima parcela do coronavoucher negado. A previsão é que os recursos sejam liberados ainda esta semana.

Quem receberá a parcela extra do Auxílio Emergencial?

Em suma, todos os beneficiários que tiveram a sétima e última parcela do Auxílio Emergencial cancelada, e requereram uma nova análise de seus dados. Os cidadãos devem aguardar até o dia 30 de novembro para saber se a restituição foi efetivada, basta verificar o deposito no Caixa Tem.

Como consultar a restituição?

Caso a intenção seja consultar o pagamento, basta acessar a plataforma Consulta Auxílio Emergencial, do Ministério da Cidadania. Feito isto, um formulário deve ser preenchido com o nome completo, nome da mãe, número do CPF e data de nascimento.

Na sequência, é preciso clicar no campo “Sou Humano”, para então enviar as imagens que comprovam a condição declarada. Por fim, será redirecionado a uma outra página onde poderá verificar a movimentação da contestação.

Auxílio Emergencial

Auxílio Emergencial estava ajudando milhares de cidadãos desde 2020. Este ano, os pagamentos foram realizados com valores variados de R$ 150 a R$ 375, conforme a composição familiar.

O programa atendia beneficiários do Bolsa Família, desempregados, autônomos, microempreendedores individuais (MEI) e cidadãos inscritos no Cadastro Único (Cadúnico) do Governo Federal.

Todavia, para ter direito ao benefício, os cidadãos precisavam comprovar uma renda mensal per capita de até meio salário mínimo ou renda bruta mensal de até três pisos.

Esta parcela extra será de grande valia para os segurados que, agora, não podem mais contar com o Auxílio Emergencial. Isso porque, o Auxílio Brasil, novo programa social, será implementado, e não contemplará nem 90% dos beneficiários do coronavoucher.

FONTE NOTICIAS CONCURSOS

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade