26 de maio de 2024 15:43

UFV afirma que não tem recursos para dezembro após novo corte orçamentário

A UFV afirmou que após o corte orçamentário foi possível pagar apenas os auxílios para os estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

A Universidade Federal de Viçosa (UFV) se pronunciou sobre a situação orçamentária da instituição de Ensino Superior. Em nota, a UFV afirmou que “não têm recursos suficientes para as suas despesas discricionárias no mês de dezembro.”  Nesse sentido, a Universidade não conseguirá cumprir com contas e contratos como de energia elétrica, limpeza, alimentação e segurança, dentre outros, para o encerramento do exercício financeiro de 2022. No total, apenas nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro, a Universidade perdeu R$ 2,6 milhões.

A nota ainda afirma que foi possível pagar apenas os auxílios para os estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica em dezembro.

Veja o comunicado abaixo:

“É de conhecimento público que, após o novo corte orçamentário, realizado pelo governo federal no dia 1º de dezembro, as Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes), incluindo a Universidade Federal de Viçosa (UFV), não têm recursos suficientes para as suas despesas discricionárias no mês de dezembro. Isso significa que, caso a situação orçamentária não seja revertida, a UFV não conseguirá cumprir com contas e contratos como de energia elétrica, limpeza, alimentação e segurança, dentre outros, para o encerramento do exercício financeiro de 2022. No total, apenas nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro, a Universidade perdeu R$ 2,6 milhões.

De acordo com a Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento (PPO), o cenário, que já era preocupante, foi agravado pelo Decreto Federal nº 11.269, de 30 de novembro de 2022. Este normativo zerou o limite de pagamentos de despesas discricionárias do Ministério da Educação (MEC) previsto para o mês de dezembro, afetando todas as universidades e institutos federais. Despesas que já estavam previstas, agora estão com pagamentos bloqueados.

A PPO informa que, no dia 2 de dezembro, foi possível pagar apenas os auxílios para os estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica – uma prioridade para a equipe de gestão da UFV – com os poucos recursos que estavam liberados. Entretanto, como o reitor Demetrius David da Silva destaca, “essa nova medida confirma a impossibilidade de a Universidade continuar honrando com outros compromissos, como vem sendo ressaltado, e agrava, ainda mais, a situação das atividades e serviços oferecidos em benefício do país”. Segundo o reitor, “os cortes de verbas representam riscos à manutenção das atividades de ensino, pesquisa e extensão da UFV, assim como ao desenvolvimento científico e de novas tecnologias, que impactam diretamente a qualidade de vida da população, bem como a economia local”.

O reitor Demetrius, inclusive, está em Brasília (DF), participando constantemente de reuniões junto à Associação Nacional dos Dirigentes das Ifes (Andifes) e ao MEC, na busca por soluções.”

A Andifes também se manifestou por meio de nota e vídeo (abaixo), divulgados em seu site.

FONTE PRIMEIRO A SABER

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade