20 de abril de 2024 16:24

Beber cerveja pode tornar as pessoas mais felizes e saudáveis, sugere pesquisa

A relação entre o consumo da bebida e a qualidade de vida foi avaliada com base nos dados de mais de 30 mil espanhóis

Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Murcia, na Espanha, publicada no último mês, concluiu que beber cerveja em doses moderadas pode tornar as pessoas mais felizes e saudáveis. Eles definiram o consumo moderado como até 12 g de álcool por dia para mulheres (cerca de 1 lata) e até 24 g de álcool por dia para homens (cerca de 2 latas).

“Quem consome cerveja mostra melhores indicadores de saúde física, mental e emocional do que em abstêmios e ex-bebedores. Pesquisas sugerem que baixas doses de álcool podem melhorar a saúde do coração e o sistema imunológico”, disse o professor Ernesto De la Cruz-Sánchez, que participou da equipe de estudos, ao jornal The Sun.

Os pesquisadores cruzaram dados de Pesquisas Nacionais de Saúde de 2012 e 2017, feitas com 33.185 pessoas com mais de 18 anos, e chegaram à conclusão de que bebedores ocasionais e moderados da bebida tiveram uma autopercepção melhor de sua saúde mental e física do que os abstêmios e ex-bebedores.

Dos que consumem cerveja, 90% classificaram sua saúde mental como boa em comparação com 80% dos não bebedores, e 80% disseram que sua saúde física era boa, contra apenas metade dos abstêmios.

Outros estudos publicados no ano passado já sugeriram mais benefícios da bebida para a saúde — Foto: Pexels / Elevate / Creative Commons

Outros estudos publicados no ano passado já sugeriram mais benefícios da bebida para a saúde — Foto: Pexels / Elevate / Creative Commons

“Em comparação com os abstêmios, os bebedores ocasionais e moderados de cerveja foram associados a melhor saúde mental e autopercepção e suporte social, e eram menos propensos a relatar limitações físicas leves ou graves. Em contraste, ex-bebedores foram associados a piores indicadores de autopercepção de saúde, saúde física, saúde mental e apoio social do que os abstêmios”, destacou o estudo.

Os bebedores também tinham metade da probabilidade de sofrer limitações físicas em suas vidas diárias – 15% contra 30% dos que não bebem -, de acordo com a pesquisa. Eles também se apresentaram como mais propensos a se exercitar, mas comiam menos frutas e vegetais.

Mas, se por um lado, os que consomem cerveja ​​avaliaram melhor sua saúde, os especialistas alertaram para uma “faca de dois gumes”, pois eles também comiam mais comida processada e fumavam mais.

Esta não é a primeira vez que a bebida é “redimida” e associada a uma melhora na saúde. No ano passado, cientistas do Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, no Porto, em Portugal, concluíram que “beber cerveja faz bem à microbiota intestinal”, fator associado à prevenção de doenças crônicas como a obesidade, diabetes e problemas cardiovasculares.

Quem bebe cerveja se exercita mais, mas come menos comidas saudáveis, frutas e vegetais — Foto: Gerrie van der Walt / Unsplash / Creative Commons

Quem bebe cerveja se exercita mais, mas come menos comidas saudáveis, frutas e vegetais — Foto: Gerrie van der Walt / Unsplash / Creative Commons

A pesquisa, publicada no Journal of Agricultural and Food Chemist, demonstrou que o consumo da bebida “aumenta a diversidade da microbiota intestinal, sem aumentar o peso e a massa gorda”. Ao mesmo tempo, os cientistas concluíram que a ingestão de cerveja “não interfere significativamente em biomarcadores”, como glicose, colesterol e triglicérides.

Outro estudo da Universidade New South Wales, na Austrália, publicado na revista Addiction no ano passado, mostrou que o consumo moderado de álcool entre pessoas com mais de 60 anos pode estar associado a um efeito protetor contra a demência.

O trabalho utilizou informações de quase 25 mil pessoas de diferentes países e concluiu que, entre os que bebiam cerveja moderadamente, a incidência de demência era 38% menor em comparação aos que não ingeriam nada de álcool.

FONTE REVISTA CASA E JARDIM

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade