19 de julho de 2024 03:53

Itabirito: demolição no Cine Pax repercute na imprensa de MG; MP investiga caso; Prefeitura emite nota

Itabirito (Região Central de Minas) – O Ministério Público (MP), de Minas Gerais, abriu um inquérito civil para investigar a demolição do antigo Cine Teatro Pax. O assunto foi destaque no jornal Estado de Minas e na Rádio Itatiaia.

O Cine Teatro Liz Bastos (nome atual do imóvel) era tombado pelo Patrimônio Histórico Municipal.

A construção foi demolida na quarta-feira (18/10) sem que o Conselho Consultivo e Deliberativo do Patrimônio Cultural e Natural de Itabirito (Conpatri) fosse avisado previamente.

A denúncia ao MP foi feita pelo vereador de oposição Renê Butekus (PSD), que inclusive deu entrevista à Rádio Itatiaia a respeito do assunto. Veja:


Outro imóvel

Segundo o Estado de Minas, Carlos Magno, membro do Conpatri, denunciou também ao MP que outro imóvel, que fica ao lado da praça Rodoviária Velha, um casarão do final do século XIX, também corre o risco de ser demolido. Isso porque um prédio de três andares será feito no local.

Ao Estado de Minas, a presidente do Conpatri e secretária Municipal de Patrimônio, Cultura e Turismo, Júnia Melillo, disse que a demolição do Cine Pax não foi planejada, e sim uma necessidade diante da estrutura. Ela afirma que até o final de 2024, um espaço cultural será construído no lugar do antigo cinema.

“Melillo também afirma que a fachada do casarão Eurico Teixeira, que fica em frente à praça da antiga Rodoviária Velha, será preservada e fará parte da planta do prédio”, informou a secretária ao jornal.

Em nota, a Prefeitura fala sobre a investigação do Ministério Público e sobre o caso de modo geral. Leia:

NOTA OFICIAL – Intervenções no Cine Teatro Liz Bastos

A Prefeitura de Itabirito informa que foi notificada pelo Ministério Público acerca da situação nessa terça-feira, dia 24 de outubro, e se manifestará junto ao órgão no prazo concedido, isto é, de 10 dias úteis.

Vale ressaltar que não existe qualquer ação judicial em tramitação. Trata-se, noutro giro, de uma apuração realizada pelo Ministério Público em sede de inquérito civil.

Na última quarta-feira, dia 18 de outubro, foi realizada a demolição da área de tijolos cerâmicos maciços da parede frontal do Cine Teatro Liz Bastos.

A Prefeitura esclarece que a intervenção se fez necessária depois de a fachada do prédio ter sido afetada pelo desabamento da marquise, registrado em janeiro deste ano. O ocorrido também afetou os paredões laterais, cuja estrutura será reforçada.

Diante do fato, constatou-se que o meio mais seguro de dar sequência à demolição da cobertura seria a forma mecanizada. A fim de viabilizar o uso dos equipamentos necessários e garantir a demolição correta da estrutura, foi necessário realizar uma abertura na parede frontal.

No entanto, durante a execução dessa abertura, um dos elementos estruturais de concreto, que estava fragilizado pelo desabamento ocorrido em janeiro, afetou a estrutura de toda a parede frontal, exigindo sua total demolição para garantir a integridade e a segurança dos trabalhadores da obra, bem como da população que irá frequentar o espaço.

A Prefeitura reforça que a demolição está sendo executada de forma controlada, prezando pela utilização de Equipamentos de Proteção Individual – EPIs – pelos funcionários da obra, bem como pelo isolamento da área, com apoio da Secretaria de Segurança, Prevenção e Mobilidade Urbana.

Por fim, a Prefeitura informa que a parede frontal será totalmente reconstruída, conforme projeto aprovado pelo Conselho Consultivo e Deliberativo do Patrimônio Cultural e Natural de Itabirito (Conpatri), sem infração às regras de tombamento.

Quanto ao casarão localizado na Praça Coronel Baêta, no Centro, trata-se de imóvel particular sob o qual não incide tombamento em qualquer esfera federativa. O bem, no entanto, é inventariado.

Isso posto, tramita junto ao Conpatri desde fevereiro de 2019, por iniciativa dos proprietários, processo para realização de intervenção no imóvel.

O Conpatri aprovou, recentemente, por maioria dos votos, o projeto apresentado, sob a condição de manutenção completa da fachada lateral – qual seja, voltada para a Praça Coronel Baêta -, preservando todos os elementos

FONTE RADAR GERAL

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade