25 de julho de 2024 06:48

Fé e devoção: peregrinos fazem jornada espiritual onde nasceu e viveu a Santa Manoelina dos Coqueiros

No último dia 17 de março, Entre Rios de Minas foi palco de homenagem à Manoelina Maria de Jesus, popularmente conhecida na região como “Santa Manoelina dos Coqueiros”. Cerca de 130 peregrinos, acompanhados por alguns ciclistas, reuniram-se ao amanhecer na Praça Coronel Joaquim Resende, no coração da cidade, para iniciar uma jornada espiritual até a localidade do Retiro Velho, na casa onde nasceu e viveu a taumaturga de 1911 até meados de 1931.

Na saída da peregrinação os fiéis receberam fitinhas que foram colocadas com fé devoção em diversos marcos ao longo do trajeto com o objetivo de sinalizar oficialmente o caminho. Antes de partir, os peregrinos realizaram orações e cânticos na praça ao redor da estátua de Manoelina. Logo após, seguiram por aproximadamente 20 quilômetros, rumo à modesta residência onde viveu a santinha dos Coqueiros. Durante todo o trajeto, eles tiveram à disposição água, frutas e um carro de apoio, garantindo que todos pudessem seguir em segurança e conforto. Mais tarde, outros grupos saíram de ônibus e até mesmo de carro, seguindo para o mesmo local.

Ao chegar no destino, os fiéis foram recebidos com uma medalha de participação da peregrinação de “Santa Manoelina”, benzida pelo Padre Ildeu, pároco local, que conduziu uma comovente missa campal. Foi um momento de profunda espiritualidade e comunhão, onde foram exaltados os feitos e curas realizadas por Manoelina durante na década de 1930, além de e testemunhos de devotos sobre milagres recentes, incluindo um grande grupo de fiéis de Crucilância, município o qual Manoelina viveu de 1931 até sua morte em 1960. Os presentes aproveitaram o momento também para pedir sua proteção e se benzer com as águas que saem das mãos de uma estátua da santinha instalada no local, e que muitos acreditam ter poder de cura.

Após a celebração, um ônibus conduziu os peregrinos de volta ao ponto de partida, encerrando um dia repleto de bênçãos, em que todos os presentes se emocionaram e fortaleceram seus laços espirituais. Essa peregrinação é parte de um esforço contínuo de resgate da história de Manoelina, iniciado em 2018 com o amplo apoio da Secretaria de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo de Entre Rios de Minas e um grupo de resgate histórico de sua memória. A ocasião também marca o aniversário de morte de Manoelina, ocorrido em 14 de março de 1960, um evento que ganhou ainda mais relevância com a instituição do “Dia Comemorativo em Homenagem à Manoelina” através da Lei 1.946/2022, promulgada pelo município em 2022. Em setembro, coincidentemente no dia 14, é seu aniversário, onde mais uma vez haverá ações em prol a difusão e promoção da história de Manoelina dos Coqueiros no município de Entre Rios de Minas.

Estiveram presentes na celebração Felipe Resende (secretário de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo de Entre Rios de Minas), Maurílio Resende (atual proprietário do local que, desde 2019, é aberto à visitação sem nenhum fim lucrativo), além de Paulo Afonso, Renato Pacheco e José Pedro Borges, membros da Governança em Prol da Difusão da Memória e História de Manoelina, movimento iniciado há cerca de 08 meses. De acordo com a Secretaria, além do próximo encontro agendado para o mês de seu nascimento, deverá haver produções audiovisuais em sua morada. Mais informações sobre essa obra de ficção serão informadas nas redes sociais.

A “SANTA” DOS COQUEIROS

Nasceu em 1911, no sítio Retiro Velho, em Coqueiros, distante cerca de 12 Km de Entre Rios de Minas. Filha de Miguel José da Rocha e Rosária Maria da Conceição. Faleceu em 14 de março de 1960, às 3h, em casa, num lugar denominado Capão, em Crucilândia (MG). Foi sepultada em 15 de março de 1960, às 10 h, no Cemitério Paroquial de Crucilândia, sepultura n° 284.

Aos 19 anos, em outubro de 1930, sob inspiração divina (espiritual), começou a operar “milagres” diversos em sua casa no Retiro Velho, atraindo pessoas de todo o Brasil e também do exterior, que vinham em busca de cura para males físicos e “da alma”. Em 09 de abril de 1931, mudou-se com toda família para Dom Silvério, Distrito de Bonfim (MG) e, depois para o local denominado Capão, em Crucilândia, onde continuou recebendo a visita de inúmeros romeiros. Até hoje, sua sepultura é muito visitada cm Crucilândia, onde é conhecida por “Virgem Manoelina”, com vários relatos de graças alcançadas

Conheça mais sobre Manoelina dos Coqueiros por meio dos vídeos sobre a sua história em www.youtube.com/seculturaerm

 

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade