13 de julho de 2024 16:02

Produto descoberto em território brasileiros pode tornar o país um dos mais ricos!

Em um cenário repleto de oportunidades na indústria mineral, o Brasil desponta notadamente como um forte competidor na produção de terras raras. Com vastas reservas que o colocam ao lado de potências como Rússia, China e Vietnã, o Brasil é detentor da terceira maior reserva destes minerais essenciais para diversas tecnologias avançadas e sustentáveis.

O país, que atualmente possui uma produção modesta, focada nos vestígios de monazita na região de Buena, Rio de Janeiro, está prestes a ver uma grande transformação. Pesquisas intensivas em locais como Araxá, Morro do Ferro e Poços de Caldas mostram um caminho lucrativo e promissor para o aumento da extração desses recursos valiosos.

O que torna as terras raras tão importantes para a economia global?

As terras raras incluem um conjunto de 17 elementos químicos utilizados em alta tecnologia como fabricação de dispositivos mobile, turbinas eólicas, veículos elétricos e muito mais. O óxido de neodímio, um dos mais valiosos entre eles, pode alcançar o preço de US$ 75 mil por tonelada, um valor significativamente superior ao do minério de ferro, que gira em torno de US$ 120.

Iniciativas promissoras e investimentos no setor de terras raras

Um dos projetos mais ambiciosos é o Projeto Caldeira, em Poços de Caldas, que está se preparando para receber um investimento de R$ 1,5 bilhão nos próximos três anos. Espera-se que este projeto não só gere 500 empregos diretos, mas também fomente cerca de 1,5 mil empregos indiretos, dando um significativo impulso tanto à economia local quanto nacional.

Impacto das terras raras na sustentabilidade e tecnologia

Alexandre Silveira, ministro de Minas e Energia, e Vitor Saback, secretário nacional de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, enfatizaram o papel crucial das terras raras no desenvolvimento de tecnologias sustentáveis. Eles apontam que a diversificação econômica e a liderança na produção desses minerais são estratégicas para o futuro, não apenas para o Brasil, mas para todo o plano de transição energética global.

A exploração ampliada desses minerais no Brasil poderia igualar ou até superar a importância econômica da exportação de minério de ferro, com bilhões de dólares em receitas potenciais. Assim, o país está se equipando para assumir um papel de liderança e influência ainda maior no cenário de mineração mundial.

  • Ampliação da produção em território nacional.
  • Investimentos estratégicos em tecnologia e infraestrutura.
  • Desenvolvimento de novos projetos e parcerias internacionais.

Com tais recursos em mãos e uma claro plano de ação, o Brasil caminha firmemente para capitalizar em suas riquezas naturais e fortalecer sua posição no mercado global de minerais essenciais para o futuro da tecnologia e sustentabilidade.

FONTE MONITOR DO MERCADO

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade