13 de julho de 2024 07:06

UMA VIDA INTERROMPIDA: amigos e familiares vão promover protesto contra a morte da pequena Lívia de 5 anos; pais relatam suposta negligência médica e vão a Justiça

Uma história interrompida aos 5 anos de idade. Lívia Carolina de Paula, faleceu na manhã do último sábado (6) no Hospital Bom Jesus, em Congonhas (MG), em meio a dor e a comoção.

Assim que a morte foi comunicada aos pais uma aglomeração se formou em frente ao hospital em busca de informações sobre o óbito prematuro levantando diversas suspeitas no atendimento.

Lívia foi sepultada ainda no domingo (7) sob a revolta e a indignação em busca de respostas a tragédia que se abateu sobre a família. A principal acusação da família é de suspeita de negligência médica e omissão.

Ainda na segunda-feira (8), os pais acionaram o Ministério Público e o Conselho Regional de Medicina e vão buscar a justiça pela morte da criança.

A família mora na Vila Condé, situada às margens da BR 040 em, Congonhas (MG). Ela relata que na quinta-feira-feira (5), Lívia brincava com seu irmão de 12 anos ( Samuel), quando pediu ajuda para sair de um bau. Reclamando de dores na região clavícula, a mãe levou a criança a UPA e Lívia foi encaminhada ao profissional ortopédico do Hospital Bom Jesus, quando passou por radiografia sendo liberada, prescrevendo medicamentos para eliminar as dores. O caso seria de uma “luxaçãozinha”, segundo relato da mãe.

Mesmo em casa, a criança reclamava de dor e outros sintomas preocupantes com os lábios roxos. Por volta das 3:00 horas de sexta-feira (6) a mãe, já bastante preocupada, retornou com Lívia a UPA, quando plantonista citou que ela deveria ter o braço imobilizado, sendo novamente encaminhada ao Hospital Bom Jesus. Após insistência, Lívia foi levada já por volta das 6:00 horas em uma ambulância já com um grande edema no ombro, para a sala de observação pediátrica, quando foi submetida a tomografia, já descendo para a sala vermelha com quadro grave. Momentos depois, Lívia veio a óbito. A mãe teve ser amparada e controlada diante da crise nervosa. Uma autópsia foi realizada no corpo de Lívia.

Família e amigos preparam protestos

Está programada uma manifestação para sexta-feira (12) em frente a prefeitura Municipal de Congonhas para cobrar justiça pela morte da pequena Lívia. Os manifestantes irão de roupa branca estampando a foto da criança. “Desde o início quando nossa filha se machucou até sua morte foi uma negligência total. Vamos até as últimas consequências para reparar esta dor e tudo por que passamos”, salientou Kenny Paula, pai de Lívia.

Posição do Hospital

Em nota publicada nas redes sociais a Associação Hospitalar Bom Jesus lamentou a morte de Lívia e que buscou averiguar todas as informações acerca dos atendimenmtos realizados a paciente entre 5 e de julho, tendo a prévia apuração demonstrando que toda a assistência foi prestada de forma imediata, conforme comprovam as imagens de circuito interno da unidade de saúde. “Ressaltamos a importãncia da apuração completa dos fatos, que ocorrerâo por meio de avaliação da Comissão Interna de Óbitos e Laudos dos Instituto Médico Legal dos Estado de Minas Gerais”, encerra a nota.

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade