Andarilhos visitam fazendas históricas

168
Início da caminhada em Lagoa Dourada

21 de março de 2015. Início da estação de outono. Saímos de Lafaiete às 07h00 sob uma chuva fina que nos acompanhou até Lagoa Dourada. Próximo ao centro, 38 animados Andarilhos Queluzianos se dirigiram até a frente da Igreja de Nossa Senhora do Rosário onde posaram para a foto no início da caminhada. Um imprevisto impediu que nosso ônibus nos acompanhasse durante a caminhada. Foi ai que um casal, funcionários da Prefeitura de Lagoa Dourada, Tuca e Célia, nos socorreram e conseguiram providenciar um ônibus particular que nos deu o apoio necessário durante a caminhada. Nosso grupo reconhece e agradece ao casal, Célia e Tuca, por esta providencial ajuda.

Em seguida, o grupo se pôs a caminhar em direção à Fazenda da Pedra, distante 15,6 Km dali. O tempo nublado e a estrada de terra, bem encharcada pela chuva, contribuíram muito para o aumento do rendimento da caminhada. Durante o trajeto, contemplamos matas virgens e também uma diversificada agricultura além de criações de cavalos, jumentos e bois.  Dispersados ao longo do percurso, os Andarilhos Queluzianos formavam vários e pequenos grupos. Conversavam, riam, curtiam e se maravilhavam com tudo. O ônibus e três carros de companheiros apoiavam o grupo levando água e possibilidade de transporte ao grupo. Coroando as atrações da região, nos deparamos com a bela e tricentenária fazenda Engenho Velho dos Cataguases.

Com média de 3 horas, os Andarilhos Queluzianos cumpriram o trajeto chegando ao destino tão esperado, ou seja, a histórica e bicentenária Fazenda da Pedra. Lá, os proprietários Célio e Eva Resende nos aguardavam ansiosos, pois a ida do grupo ao local já estava acertada há mais de um mês. Todas as dependências da fazenda foram abertas para visitação. Na cozinha dotada de um grande fogão à lenha, duas cozinheiras se esmeravam em fazer e servir deliciosos salgados e típica comida mineira. O grupo se instalou em um grande galpão que, na verdade, funciona como um restaurante bem perto da casa principal. Comeram, beberam e conversaram sobre variados assuntos principalmente pela aventura realizada. Compraram queijos e doces de leite, especialidades da casa e da região. Terminou assim, mais esta recente aventura dos Andarilhos Queluzianos que muito emocionou a todos devido ao aspecto cultural proporcionado, além do esportivo e social.

LAGOA DOURADA   Cidade histórica do Campo das Vertentes, com cerca de 12 mil habitantes é cortada pela Estrada Real. O povoamento local começou em 1625, após a descoberta de ouro nas águas de uma pequena lagoa que passou a ser chamada de “Alagoa Dourada”. Em 1832, o nome original de Alagoa Dourada é alterado para Lagoa Dourada. Esgotado o ouro, o arraial buscou alternativa na agricultura, principalmente, no milho e na produção do leite. Em 1892, o distrito passou a pertencer a Prados, e em 1911, foi finalmente emancipado.  O município possui a maior pecuária leiteira da região e é forte produtor de hortigranjeiros. Também é famoso pela produção de rocamboles, o pão-de-ló recheado com doce de leite, licores, vinhos e outros doces caseiros.

FAZENDA DA PEDRA   Localizada no caminho velho da estrada real a 10 km dos marcos entre Lagoa Dourada e Casa Grande. Fundada em 1797 pelos descendestes legítimos dos Resende no Brasil e da família de Tiradentes. A fazenda iniciou suas atividades em 1858 com a criação de muares da raça “Pêga”, entre outras.
Administrada pela quarta geração, o casal Célio e Eva Resende, adaptou a fazenda para o ramo de turismo rural mantendo preservada a estrutura e as características históricas bem como um antigo e importante acervo de móveis, fotos e objetos. Em sua construção, destaca-se a grande quantidade de pedras utilizadas. Possui uma bela capela. Os hóspedes podem acompanhar as atividades rurais bem como participar de passeios pela região.

FAZENDA ENGENHO VELHO DOS CATAGUASES   Foi construída logo após a chegada ao Brasil de João de Resende Costa e Maria Helena de Jesus, isso em 1720. Eles se casaram em 1726,  na Matriz de Nossa Senhora da Conceição dos Prados, comarca do Rio das Mortes, hoje Lagoa Dourada. Tiveram 15 filhos nascidos vivos. Portanto, esta fazenda foi o berço da família Resende e também da raça de jumentos “Pêga” no Brasil. Esta raça foi geneticamente formada pelo lendário Coronel Eduardo José de Resende, destemido criador e grande latifundiário.

Por: LAÉRCIO REZENDE AMARAL– ANDARILHO QUELUZIANO