Comerciantes denunciam venda clandestina e ilegal de gás de cozinha e exigem fiscalização e rigor no mercado

40

Empresários lafaietense estão preocupados com o crescimento do comércio clandestino e ilegal de gás de cozinha. Além de não pagarem impostos, a atividade, sem qualquer fiscalização, trazem risco pela falta de segurança.

Segundo os empresários, hoje mais d e50% do mercado é tomado por comerciantes clandestinos na revenda dos produtos, adquiridos também revendedores sem qualquer autorização municipal (alvará), certificado da Agência Nacional do Petróleo (ANP) ou licença de funcionamento, seja alvará ou auto de vistoria do corpo de bombeiros. “Eles agem à sombra da lei, não pagam impostos, trabalham gerando grandes riscos a saúde da população’, advertiu um empresários que procurou nossa redação para denunciar a situação em Lafaiete. “È clandestino vendendo para clandestino colocando em risco a vida da população”, disse um comerciante a nossa reportagem.

Os vendedores clandestinos agem a luz do dia vendendo gás de cozinha de porta em porta, nos bares, as padarias, mercearias e açougues. “A situação está tomando um rumo sem qualquer controle ou fiscalização. As autoridades competem têm de agir para garantir a população como também zelar pelo consumidor. Queremos igualdades de condições”, exigiram os empresários cobrando uma atuação do poder público na fiscalização, o Ministério Público e Corpo de Bombeiros. “Há mais de 10 anos não há uma operação no setor em Lafaiete que funciona  sem qualquer fiscalização”, afirmaram os empresários.