Com investimento de R$ 120 mi, Vila Galé de Ouro Preto ficará pronto em 2024

Resort do grupo português será instalado em edifício do século 18 que abrigou quartel e colégio; veja fotos

Fortalecimento do turismo, movimentação da economia, valorização da cultura e preservação do patrimônio histórico. Essa é a expectativa da Prefeitura de Ouro Preto, na região Central de Minas Gerais, e também do governo do estado, com a chegada de uma das maiores redes hoteleiras do mundo à cidade. Nesta terça-feira (28), representantes do poder público formalizaram um acordo com a rede Vila Galé para a instalação de um resort no distrito de Cachoeira do Campo, um dos mais populosos do município. Serão investidos no empreendimento R$ 120 milhões. 

Atualmente com 42 estabelecimentos espalhados no mundo – sendo 10 deles no Brasil – o grupo português investe pela primeira vez em Minas Gerais. O empreendimento vai ficar instalado no terreno onde funcionaram o antigo colégio Dom Bosco e o primeiro quartel da história da Polícia Militar mineira. O local já está em obras para a restauração, com previsão de conclusão para o fim de 2024. 

Conforme o presidente e fundador do grupo Vila Galé, Jorge Rebelo, 120 jovens serão recrutados, capacitados e contratados para trabalhar no local, além da geração de outros 600 empregos indiretos. A intenção, explica o gestor, é dar a jovens da região a oportunidade do primeiro emprego.

“A primeira avaliação que fizemos é que não há muita mão de obra disponível em Cachoeira do Campo e em Ouro Preto para trabalhar em um hotel deste patamar. Nós vamos mesmo ter que formar. Já que vamos ter que formar, vamos dar prioridade aos jovens na busca do primeiro emprego”, explica.

O prefeito de Ouro Preto, Ângelo Oswaldo, ressalta a importância da iniciativa, que pode ajudar pessoas sem experiência a ingressar no mercado de trabalho. “A grande dificuldade do jovem hoje é: ele chega para a entrevista e a pessoa pergunta ‘Onde você já trabalhou? Qual sua experiência anterior?’. E ele não tem. Isso vai ser extremamente importante para nossa região. É a primeira vez que registramos esse fato: uma empresa de grande porte que vai dar emprego a quem nunca teve”, comemora.

Mais do que a geração de empregos diretos e indiretos na região de Ouro Preto, também há expectativa para um “boom” na movimentação econômica do turismo de Minas Gerais. O secretário de estado de Cultura e Turismo de Minas (Secult), Leônidas de Oliveira, afirma que o setor de turismo tem crescido economicamente. Ele cita um estudo da Fundação Getúlio Vargas, segundo o qual R$ 1 investidos gerariam R$17 na economia, o que, aplicado ao valor investido, geraria R$ 2 bilhões para a economia do estado.

“Isso em curto prazo. E o hotel também tem uma temporalidade muito grande. O turismo move uma economia e sustentável”, avalia.

Atrativos do resort

Quem quiser aproveitar alguns dias no resort Vila Galé terá à disposição 297 quartos, dois restaurantes, dois bares e sete salas de convenções, para grandes eventos. O local também vai contar com um auditório, uma capela, biblioteca, sala de jogos, Spa Satsanga com piscina interior aquecida e sauna. Entre as opções de lazer estão ainda Clube Infantil NEP com parque aquático, lago, ecoturismo, tirolesa e biblioteca.

O presidente do grupo, José Rebelo, afirma que o local, assim como todos os empreendimentos da rede, visa ser um ambiente familiar. “Nossos hotéis são virados para as famílias e para as crianças. Nós apostamos fortemente em criar muitos atrativos que ajudam não só a diversão das crianças, mas também a sua formação cultural e ambiental, que é muito importante”, frisa. 

A propriedade, conforme José, também vai contar com plantações de azeitonas e uvas. O objetivo é produzir azeite e vinho dentro do terreno onde o resort será instalado. 

Ouro Preto ainda mais ‘internacional’

De acordo com uma pesquisa realizada pela Secult no ano passado, Ouro Preto é a cidade que mais atrai turistas em Minas Gerais. O Inventário da Oferta Turística certifica que a antiga capital do Estados possui cerca de 200 meios de hospedagem, incluindo sede e distritos, com 2.000 unidades habitacionais e 5.200 leitos.

A chegada do resort do Vila Galé a Ouro Preto pode fortalecer ainda mais a cidade no cenário de turismo internacional, segundo Leônidas de Oliveira. “Um hotel de bandeira internacional abre portas e o olhar para o mundo inteiro, para ver o que a gente está fazendo em Minas, quem nós somos. As pesquisas dão conta disso. 92% das pessoas que vêm a Minas querem voltar”, argumenta. 

O secretário também destaca que há 40 anos Minas Gerais não recebia um investimento internacional no setor. Os atrativos de Ouro Preto, ele acredita, podem ficar ainda mais em evidência para o mundo. “Temos atrativos de cachoeira, de natureza, e a história do Brasil passa por esse lugar, por esse edifício”, explica.

Cultura retratada pelo próprio hotel

Além da restauração e da preservação do prédio onde ficará o resort, a história de Ouro Preto também será contada nos quartos do hotel. As hospedagens vão ser decoradas com imagens que remetem a elementos culturais da cidade, como as igrejas e as pedras preciosas. 

Além disso, o público poderá fazer passeios temáticos para saber mais sobre a cidade. “Uma terra que não recupera seu passado e não preserva seu passado é uma terra que fica sem alma. Eu gosto muito de trazer a memória do passado reabilitado, para nós mantermos viva essa presença”, explica Jorge Rebelo.

O prefeito de Ouro Preto, Oswaldo Ângelo, conta que o edifício onde ficarão os quartos do hotel Vila Galé foi construído em 1775 para ser o primeiro quartel da Polícia Militar de Minas Gerais. Em 1891, a construção foi repassada ao grupo Salesianos, que instalou um colégio no local. Desde 2013, a estrutura está fechada, causando deterioração das paredes.

O Vila Galé assumiu o compromisso de restaurar e preservar o local. “Imagine um prédio deste tamanho fechado durante mais de 10 anos.  Houve uma deterioração. O Vila Galé vai preservar a estrutura original do prédio, como podemos ver nesses paredões de pedra e vai guardar as características do imóvel”, detalha.

O presidente da rede Vila Galé, Jorge Rebelo, diz que o objetivo é “reviver” a estrutura e preservar a memória do local. “A propriedade é linda, a área é fabulosa, tem uma vista sensacional. Vai haver uma ressurreição deste edifício. Vai voltar a ter vida”, garante.

Mais um empreendimento em vista

Além do empreendimento em Ouro Preto, que deve ficar pronto no fim de 2024, a rede Vila Galé também cogita construir outro resort em Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte. A intenção inicial era instalar o hotel dentro do museu Inhotim, mas a ideia não avançou. Nesta quarta-feira (29 de novembro), vai haver uma reunião entre membros da Vila Galé, da Prefeitura de Brumadinho e da Secretaria de Estado de Cultura.

FONTE O TEMPO

, , , , , , ,

Últimas Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade

© 2023 – Criado por  Dr. Hosting Brasil.