Membros do conselho visitam escolas e fazem avaliação positiva da entrega dos kits; mães aprovam qualidade dos produtos

25
Na escola Doriol Beato, funciona a central de distribuição / CORREIO DE MINAs

Após a repercussão nas redes sociais de denúncias em relação aos kits escolares, a nossa reportagem acompanhou nesta manhã (27) a visita de membros do Conselho de Alimentação Escolar (CAE) a Escola Municipal Doriol Beato, local onde funciona a central de distribuição.
Há 22 dias, com ajuda de voluntários, iniciou o processo de montagem e em seguida a entrega aos pais de 12 mil alunos de 42 escolas e Educação de Jovens e Adultos (EJA), além de estudantes da AEE (Alunos da Educação Especial). Mais de 90% dos kits já foram entregues neste primeiro mês do total de 3.

Conselheiros acompanham de perto a montagem e distribuição dos Kits / CORREIO DE MINAS

Como o valor do repasse da verba da alimentação escolar é bem baixa, a prefeitura complementou, com recursos próprio, a compra dos produtos.

Segundo os membros do CAE, os kits são montados e entregues obedecendo conforme os critérios do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). “Para cada modalidade de ensino, desde a creche ao ensino médio, são distribuídas cestas diferentes em seu conteúdo respeitando a faixa etária e os ingredientes nutricionais”, assinalou a Professora e membro do Conselho, Silvana Lourdes.

Cestas obedecem a qualidade nutricional de cada faixa etária dos alunos / CORREIO DE MINAS

Segundo ela, a definição dos produtos dos kits foi aprovada pelo conselho e por uma nutricionista.  A escala de distribuição também obedeceu a ordem da creche até o ensino médio. “Após o envio das cestas, as escolas ficam responsáveis para distribuir aos alunos”, afirmou o membro do CAE, José Ernesto Filho.
Na Escola Doriol Beato, nossa reportagem observou a cumprimento de medidas sanitárias como distanciamento social e uso de máscaras. Em cada sala, ficam armazenado um tipo de produto. Somente de arroz foram distribuídas 6 toneladas. No local o trabalho é intenso.

Avaliação

Mãe e membros do conselho aprovaram distribuição e qualidade das cestas / CORREIO DE MINAS

Nossa reportagem conversou com a cantineira, Alda Emiliana, há 22 anos trabalhando no setor. “Tudo não passa de calúnia. Os kits são feitos de acordo com a demanda nutricional de cada faixa etária. Não vamos distribuir mucillon para estudantes do ensino médio. Não há nada de privilégio ou distinção”, avaliou.
“Quem critica é porque desconhece a qualidade das cestas. Estou muito satisfeita com a distribuição. Será de muito valia na minha casa”, comentou Mara Viviane, que recebeu 3 cestas para seus 3 filhos.
Laila Richielly também considerou satisfatórias a organização, a distribuição e qualidade dos produtos. “A secretaria e os funcionários estão de parabéns. Tudo muito bem organizado”, apontou.

CAE
Os membros do Conselho de Alimentação Escolar entregaram a nossa reportagem a lista de produtos das cestas básicas para cada modalidade de ensino. “Hoje estivamos no CAIC e vamos percorrer outras escolas. Não identificamos nada de anormal. Está tudo dentro do programado e planejado”, afirmou Ernesto.

Listas por cada modalidade de ensino