13 de junho de 2024 13:22

Gerdau mantém investimentos em Minas Gerais

Apesar do aumento da importação de aço afetar produção no país, presidente da empresa mantém projetos no estado sem cortes

Apesar de considerar o ambiente dramático para o setor siderúrgico em virtude do aumento expressivo nas importações de aço no Brasil, com crescimento de quase 60% entre janeiro e setembro, o diretor-presidente da Gerdau, Gustavo Werneck, garantiu nesta terça-feira (7/11) que os investimentos da empresa em Minas Gerais estão garantidos e não sofreram cortes em virtude da “inundação” do mercado brasileiro pelo aço vindo da China. “Os investimentos serão mantidos e não haverá reducão da capacidade em Minas. Em Minas nós vamos manter os investimentos previstos”, afirmou Gustavo Werneck.

Na usina de Ouro Brando, a Gerdau esta investindo R$ 1,5 bilhão em uma linha de laminaçao de bobinas de aço a quente, que terá capaciade de produção de 250 mil toneladas/ano a partir do fim do ano que vem.

Outro investimento da empresa no estado é no aumento da capacidade de produção de minério de ferro em 5,5 milhões de toneladas, com aporte de R$ 3,2 bilhões. Toda a produção será destinada às usinas brasileiras.

A Gerdau vai investir ainda R$ 1,7 bilhão em um laminador de perfis estruturais na usina de Ouro Branco e ampliar suas florestas com investimento de R$ 1 bilhão. A empresa investe também em reformas e manutenção dos equipamentos da planta siderúrgica.

Questionado sobre a manutenção dos investimentos no momento em que as importaçãos de aço levam a empresa a demitir e cortar produção, Gustavo Werneck disse acreditar que “nossos interlocutores têm compreendido a gravidade no caso do aço chinês, porque quando se deminte não tem mais geração de renda e afeta toda uma cadeia. Há um entendimento que uma compreesão e uma tendência que leva a crer num caminho para o setor ter mais equilíbrio”.

Com a expectativa de que o Brasil, a exemplo de outros países, adote uma tarifa de 25% sobre aços vindos da Ásia, Gustavo Werneck lembra que a continuidade do quadro atual, com o aço importando respondendo por 23% do mercado brasileiro de produtos siderúrgicos, representará demissões no setor e paralisação de plantas, com perda de renda e de impostos. No terceiro trimestre a Gerdau investiu R$ 1,5 bilhão, chegando com isso a 72% do investimento previsto para o ano já realizado.

FONTE ESTADO DE MINAS

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade