Câmara de Lafaiete descarta comissão, mas ensaia CPI

83

Era o principal embate entre o principal líder oposicionista e Ivar Cerqueira (PSB). Mas o prefeito saiu vitorioso na noite aguardada da atual legislatura. Na noite do dia 14, por 13 a 0 a Câmara não aprovou o requerimento do vereador Zezé do Salão (PMN) em que pedia abertura de comissão processante. O pedido se baseava em 3 denúncias em que o mandatário não estaria cumprindo, principalmente por não responder corretamente os requerimentos dos vereadores. O vereador já vinha ensaiando a articulação para criar uma comissão para investigar o prefeito. Para votar o requerimento, já que o autor estava impedido, foi empossado o suplente o diretor do departamento de meio ambiente, o Major Marco Antônio (PV). Antes da votação ele cumpriu o rito parlamentar, prestando juramento e ainda fez um discurso em que destacou sua atuação em Lafaiete em diversos segmentos. A votação O requerimento era o último na ordem de votação na sessão. A casa estava entupida e na expectativa do resultado. Mesmo não votando, Zezé participou das discussões. “Aqui não é cassação, mas abertura de uma comissão para apurar as denúncias. Todos sabem que o prefeito vem descumprindo diversas lei como a “fura filas” em dá mais transparência aos pacientes na marcação de cirurgias, consultas e exames. A gente sabe que tem gente que é beneficiada furando a fila de espera. Mas independente do resultado vou levar ao Ministério Público estas denúncias”, observou Zezé. Em seguida o neo vereador, Major Marco Antônio, fez um discurso de defesa intransigente da lisura da administração enumerando avanços em diversas áreas. “Estas denúncias não expressam a realidade”, frisou. “Este sinal é para finalizar minha fala”, disse o vereador ao ouvir o toque da campainha que encerra sua fala e arrancou risos. Na votação nominal, por unanimidade o “não” encerrou a polêmica que se arrastou durante a semana. CPI Os vereadores justificaram e argumentaram seus votos. Toninho do PT afirmou que não defendia a comissão processante, mas adiantou que estaria disposto, após a volta do recesso, em agosto, a criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a lei do fura fila. “A meu ver é a única denúncia que tem sustentabilidade”, frisou. Fazendo coro ao seu colega, o vereador Pedro Américo (PT) também defendeu a criação de uma CPI. Denúncia Ao final da sessão, o vereador Zezé do Salão fez uma nova denúncia de que um carro da secretaria da saúde, placa NXX 0441, estaria há mais de 30 dias, em uma empresa de socorro após ser rebocado por estar em frente a uma garagem. “Quem paga isso é o contribuinte”, cutucou. Tropa de choque Um fato que chamou a atenção foi a ampla participação dos secretários e funcionários de alto escalão durante a sessão, o que mostra o apoio irrestrito ao prefeito Ivar.“Eu sabia, mas o prefeito vai mudar seu jeito”, disse Zezé O vereador Zezé do Salão (PMN) (foto) disse a nossa reportagem que já espera pelo resultado da votação, mas garantiu que o prefeito vai mudar sua postura. “Olha para mim vejo que todos os vereadores defenderam aquilo que estava debatendo, isto é a fiscalização. Todos disseram que são a favor da fiscalização. Então não vi motivos para não aprovar meu requerimento. Eles próprios não estão respeitando os princípios que regem nossos mandatos. Mas o saldo positivo é que o prefeito, de agora em diante, vai mudar sua postura ao responder a Câmara”, comentou..E finalizou: “Nunca disse que o prefeito Ivar seria desonesto, mas pelo contrário. Eu e ele trabalhamos aqui nesta Casa para acabar com a verba indenizatória. Vamos continuar nosso mandato respeitando o povo de Lafaiete e cumprindo nossa principal missão de fiscalizar os atos do executivo”.

Foto:fato real